Aroma

Por: Zelita Verzola

Caminhava ouvindo música de passarinho quando, de repente, um aroma me leva de volta ao “tempo de goiaba”. Nele o tacho de cobre sobre o fogareiro exala o inequívoco perfume, enquanto o creme vermelho intenso borbulha. Meu pai trouxera as frutas e minha mãe, minha irmã e eu preparávamos o doce. Um belo e delicioso ritual. Todo ano se repetia. Saudoso retorno da infância. Com gratidão abençoo a goiabeira e toda sua persistente e dadivosa espécie.
 
 
Zelita Verzola, professora

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras