Linda senhora

Por: Roberto de Paula Barbosa

Há alguns anos tomei contato com uma senhora idosa, complicada, difícil, mas à medida que a conheci melhor, - ainda não o suficiente - vejo que é muito agradável, bonita, versátil. Ela teve grandes amigos que se serviram de sua beleza para trazer ao mundo muito prazer, emoção, romantismo, poesia, e tudo que o homem pode chamar hoje de conhecimento, cultura, lazer. Alguns se aproveitaram de sua versatilidade para produzir artes inesquecíveis e eternas. Quem a conhece profundamente consegue transmitir idéias filosóficas, econômicas, políticas e sociais, podendo incutir o seu pensamento em multidões sem liderança. Recentemente, considerando sua idade, essa senhora vem sofrendo ataques de suas colegas estrangeiras, fazendo com que ela perca a naturalidade e beleza diante daqueles que não a conhecem ou que pouco  caso fazem dela. Longe de ter aversão às coisas estrangeiras, essa senhora vem aceitando com paciência e denodo esses ataques e, à medida do possível, vai assimilando e transformando-os em algo útil para seu uso. Mas sempre têm os oportunistas, aproveitadores e idiotas de diversas categorias que usam e abusam dessas investidas contra a pobre senhora para mostrar toda a sua ignorância e submissão e, talvez, achar que com isso, conseguirá arrebanhar admiradores e adeptos ao seu projeto de subdesenvolvimento. Faz-me lembrar do escritor português José Saramago – Nobel de Literatura em 1998 – que afirmou não entender por que bradamos tanto contra a colonização se no fundo gostamos de ser colonizados. Tive e tenho um imenso prazer em conhecer essa senhora. Ah! Ia esquecendo-me. Essa senhora chama-se Língua Portuguesa.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras