Esperas

Por: Paulo Rubens Gimenes

O café
 
Esperou  tempo demais na xícara
 
Esfriou.
 
A beleza
 
Esperou tempo demais na moldura
 
Esfriou
 
O amor esperou tempo demais
 
Nas promessas 
 
Esfriou
 
Enfim, novo tempo chegou
 
Queimando ressentimentos,
 
Incendiando esperas,
 
Esquentando corações.
 
 
Paulo Rubens Gimenes, Publicitário e ex-conselheiro do Comércio da Franca

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras