Lembranças

Por: Lúcia Helena Maniglia Brigagão

289829
Fachada do prédio do jornal Comércio da Franca, anos 50 e 60, onde funcionaram, até começo da década de 70, tanto a redação quanto suas oficinas. Ali, na época do linotipo,  o jornal era idelizado, composto e executado. Localização: Rua do Comércio esquina com Voluntários. Vizinhos: Casas Pernambucanas, tinturaria do sr. Casarotti,  ateliê do sr. Elias Atiê, e bem em frente à loja de couros do Pedro Spessotto, na esquina oposta. Os dois painéis ao lado da porta eram protegidos por gradinha de arame, para evitar vandalismo. Nos 60, ainda comandado por Alfredo Costa, tinha como redatores Luiz Carlos Facury e Samir Miguel. Outro Alfredo, o Palermo era responsável pelos artigos da Objetiva e da Gazetilha – essa hoje assinada por Corrêa Neves Júnior. Por esta porta passaram Márcio Campello; Luiz Martins, professor; Osmar Martins; Cyrino Goulart; Sidney Rocha e Niura Rocha. No balcão, Patrícia entregava sua coluna Socialmente Falando, manuscrita. Esse espaço foi invadido pela polícia e por padre católico, em diferentes ocasiões e razões. O Comércio, que teria dois outros endereços antes do atual: rua Marechal Deodoro e do Ouvidor Freire, faz 100 anos este mês.
 
 
(Lúcia H. M. Brigagão)

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras