100 ANOS do ‘Comércio’

Por: Maria Luiza Salomão

Para Sônia Machiavelli, amiga e valente.
 
 
Um centenário se faz em quantos fatos? 
Ano a ano, na confiança, no tato?
Qual  palavra sintetiza o jornal no ato?
De tantas escritas, qual se estende, hoje, no varal?
Não será coragem? Nas notícias só aragens...
benditas ou malditas podem ser punhal?
E a paixão? Jornalista não tem dela de montão?
Não é devoção a corrente liga-gentes de trás com as da frente?
Se o leitor não vê miolo ele sente a semente?
Se não lê a notícia ele guarda a manchete?
De gente se fala e o que fala não é confete?
 
Jornal decano entra ano e sai ano
não sabe se finda se perdura se segura se figura
na história da corrente?
- o que faz: imprime movimenta a história
seja harmônica ou cruel. 
- o que faz: historia comercia com francanos
centenário papel.
 
 
Maria Luiza Salomão, psicóloga, psicanalista, autora de  A alegria possível (2010)
 
 
 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras