Academia Francana de Letras

Por: José Eurípedes de Oliveira Ramos

A Academia não é torre de marfim, 
passaporte para a imortalidade 
literária, ou coroa para a vaidade. 
É uma simples confraria de escritores..
 
 
O processo de preenchimento das primeiras quarenta vagas desenvolveu-se segundo roteiro pré-determinado pelos Estatutos. 
 
Dispomos da mais completa lista possível de escritores residentes em Franca, em atividade ou não, renovada anualmente para inclusão dos novos. Nela estão nomes inclusive de participantes das antologias, profissionais e colaboradores da imprensa, de hoje e de ontem. 
 
Anualmente, em três escrutínios, elabora-se relação segundo o maior número de votos e escolhidos nessa ordem os que serão convidados a ocuparem as vagas existentes. 
 
O processo de votação leva em conta, quanto ao currículo literário: publicação de livros; participação em antologias; trabalho ou colaboração na imprensa; parti-cipação em atividades; possibilidade de frequentar as reuniões e de assumir en-cargos; compromisso de promover a difusão e preservação da língua nacional, manter o cultivo e a produção continuada de atividades no campo da literatura. 
 
Preenchidas as vagas, abrem-se novas por abandono, renúncia ou falecimento de acadêmicos, sendo certo que há uma lista de espera de candidatos já aprovados. Considerando que todas as vagas foram preenchidas, a admissão de novos ocorrerá exclusivamente mediante concurso público. Os candidatos da lista de espera –após prévia consulta individual- serão incluídos no(s) concurso(s) automaticamente.
 
Fica claro que a Academia é uma organização de estrutura mais rígida, mais recolhida em si mesma, como todas do mesmo gênero.  A exemplo das demais, não tem objetivos sociais ou recreativos, não participa da vida literária boêmia, nem se destina a aparecer ou a projetar indivíduos.
 
AFL não é a única opção para os pretendentes a participar de organizações dedicadas à literatura. Em Franca existem várias organizações literárias alternati-vas.
 
 
José Eurípedes de Oliveira Ramos, acadêmico

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras