Adubos&Crianças – para adultos

Por: Elaine Narciso

299650

É... crescer não é fácil...é pesado, é dúbio, é chatíssimo.

Você tem que assumir, muito cedo, compromissos que nem uma pessoa com 231 anos de idade tem condições de assumir de forma lúcida.

Você tem que passar a sentir desconfiança, se não quiser ser um adulto abobado.
Pra aguentar o peso da carga emocional de ser adulto você deve, necessariamente, tomar uma boa dose matinal de indiferença, porque é impossível encarar sóbrio a insensatez cotidiana do mundo. E o gosto da indiferença é solidão.

E se você não quiser fazer papel de besta, tem que ser muito esperto e ágil, o que gera os tipos mais desengonçados!
Então, quem é tido como meio tonto, olha essa vertigem alucinante que atende pelos nomes: vida adulta, amadurecer, crescer e pensa: “Sei não...tem alguma coisa errada nesse trem.”

De fato, poucas crianças têm por perto adultos em que podem confiar, a partir do que estes falam e fazem. Poucas crianças têm a oportunidade de observar a coerência em seu convívio. Poucas crianças podem sentir que o amor é um fato natural, numa convivência de respeito mútuo.
Por isso, em nome de todas as crianças e pessoas abobadas reivindico que:

Deixe-nos em paz, com nossas tolices, pedras e brincadeiras de mão pelo maior tempo que puderem, se vocês não têm interesse em não querer ser nada. E, por favor, não peçam repetida e continuamente que cresçamos, quando vocês estão tão apertados e pequenos dentro.

Nós preferimos expandir, em vez de crescer. Essa questão do tamanho das coisas, só gera confusão. Nós preferimos florir e murchar com delicadeza, em vez de amadurecer e apodrecer.
E, caso queiram nos dar um presente realmente importante, temos dois pedidos especiais: paçoca de avó e tempo.
 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras