Descaminhos

Por: Elisa Silva Ferreira

304817
Vinha ela de tantas
e tristes andanças
Tão nômade
tão anônima
Sua beleza cansada
desencantada
sem bússola
ao léu
Sua alma ferida em soluços
exausta exala
um suspiro profundo.
Para....Encara
entre lágrimas, o mar imenso
Tão belo!
Entre o Amor e a Dor
escolheu a Solidão.
Por que chora agora?
Repentinamente
de seus devaneios desperta e
lentamente, recomeça
seu caminhar incerto
Enxuga os belos olhos tristes
Recoloca nos lábios o sorriso
que esconde
novamente
sua inseparável parceira: a Dor!

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras