Carta a Antônio

Por: Angela Gasparetto

311303

 “Franca, 15 de setembro de 1965


Querido filho,

Que saudades! Espero que estejam todos bem, a comadre Lourdes e as meninas? A Comadre já está melhor?

Estamos todos rezando e acreditando que ela vai ficar boa de vez. Ela ficará curada em nome de Deus, amém!

Aqui em Franca estamos todos com muitas saudades de vocês e das meninas. Estamos todos trabalhando para que possam mudar para cá.

Querido Antônio, não tenha medo, nós o ajudaremos de todas as formas. Trabalho não falta e caso você tenha alguma dificuldade, nós o apoiaremos no que precisar.

Filho, esta cidade é abençoada, tem trabalho para todos e fome ninguém passará.

Aqui as meninas poderão estudar com mais facilidade e depois arranjar um trabalho melhor.

Venha, não tenha medo.

Nós aqui estamos todos bem. A Maria vai casar. Está arrumando tudo e acho que até o inicio do próximo ano teremos novidades.

O tempo continua bom aqui. A primavera já vem dando suas caras e todo o passeio está florido. Precisa ver quantas rosas tem o meu jardim. Está tão lindo. Quando abro a janela da sala, sinto brisa de todas as manhãs e meu pensamento vai para vocês aí.

Vou ficando por aqui, senão começo a choradeira. Que Deus os abençoe e os mantenham na paz. “

Sua mãe querida,

Francisca."

* (ACHEI ESTA CARTA NOS GUARDADOS DO MEU PAI E QUIS REPRODUZIR AQUI. QUANTA SINGELEZA DE MINHA AVÓ CHICA QUE SEMPRE NOS MOSTROU O QUE É O VERDADEIRO AMOR DE UMA AVÓ)

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras