Fotografia

Por: Lúcia Helena Maniglia Brigagão

311930

O ano, algum da década de 50. Local, tudo indica ser estação de trem, provavelmente a Estação de Ferro Mogyana de Franca. Infelizmente tais informações são suprimidas no registro das fotos desta e de outras épocas passadas. A lista de nomes, também incompleta, pode ser lida no verso da foto, que só pode ter sido tirada em daquelas Kodak, que tinham formato de caixa preta.  
A ordem está correta, porque os nomes balizam e confirmam a lista.  Em pé, da esquerda para a direita: Leda (?), Lito Aidar, Cyrino Goulart, desconhecido, Helena Barbosa, Evaristo Fabrício, Francisco Marconi, Ruth Cilurzo, Nilda Pereira, Maria Clementino, Diva Targa, Eloi Mantovani. Sentados, mesmo sentido: Maria Dionísio, Leda Muniz, Olga de Faria, Norma Pereira, Célia Franchini, Amélia(?), Alzira Dionísio.  Olhar os rostos traz à memória algumas dessas personalidades, cujas atuações são fundamentais na história de Franca. Lito Aidar está ligado à história do esporte. Cyrino Goulart é o nome do teatro municipal. Helena Barbosa, professora, técnica, grande líder, com óculos RayBan cujo uso ela lançou na cidade e ainda são referência para aquelas mulheres que foram suas alunas. Francisco Marconi, jornalista. Ruth Cilurzo, pioneira, sem o saber, das feministas francanas. Entre as esportistas, destaque para Olga de Faria, a querida Véia, cujo apelido é incompatível com sua vivacidade, carinho, atuação e aparência. A ela eu agradeço a cessão da histórica foto. E o time foi, de trem, representar Franca em algum evento esportivo importante, o que sugere o peso dos nomes que o acompanhou. 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras