The Island

Por: Lúcia Helena Maniglia Brigagão

331635
Ao sul de Southampton, na costa sul da Inglaterra, fica a Ilha de Wight -  Isle of Wight;  The Island, como é referida pelos ingleses. É  o lar de poetas como Algermon Charles Swinburne (Love and Sleep) e Alfred Tennyson (Tears, Idle Tears); e foi locação do excepcional Mrs. Brown, filme com Dame Jude Dench, que expõe episódio discutível da vida da Rainha Victoria, no qual ela teria se envolvido emocionalmente com o cavalariço escocês,  Mr Brown, seu funcionário, algum tempo depois que ficou viúva. A ilha tem tradição marítima e industrial na construção de embarcações, tomada de vela, fabricação de hidroaviões e ali foi desenvolvido o primeiro aerodeslizador do mundo. É, também, local de testes e desenvolvimento de foguetes espaciais da Grã Bretanha. Em 1970 foi palco do maior evento de rock - maior e mais importante que Woodstock, dizem - realizado um ano antes. Para se ter idéia da dimensão da importância daquela edição do The Isle of Wight Festival, basta dizer que desse evento de 1970 participaram as bandas Redbone, Tony Joe White, The Doors, The Who, Jimi Hendrix, Joan Baez, até Gilberto Gil e Caetano Veloso, representando a Tropicália. Todos os anos, a partir do ano 2000,  a ilha recebe milhares de fãs de rock para o importante festival. Os Beatles, na música When I’m 64, fazem referência à Ilha de Wight, como homenagem. No local, circundando por falésias, bem defronte à praia, destaca-se linda construção de três andares, castelo  construído por Francisco Alberto Augusto Carlos Emanuel, marido da rainha Vitória e príncipe consorte do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda, que foi construído e dado como presente à esposa. Nos verões a família real costumava ir para a beira-mar e Victoria exercia suas reais funções na Osborne House, como é conhecido o castelo, que  passou a ser seu refúgio por muitos anos, depois da viuvez precoce que a abateu muitíssimo.  Isolada da corte e do povo, abalada pela tristeza, Victoria, refugiou-se na ilha, depressiva e desinteressada de tudo.  Hoje, nos corredores do castelo, com praticamente todos os cômodos abertos para visitação, pouco mudou da decoração original, vêem-se ainda nas paredes as fotografias dos filhos daquela que se tornou  Rainha aos dezoito anos, logo após saída da adolescência. Além das fotos, telas, brinquedos simulando cenas, algumas tão reais, que até parece que os protagonistas vão chegar a qualquer momento. A rainha Victoria do Reino Unido e o príncipe Alberto tiveram nove filhos e vinte e seis dos seus quarenta e dois netos casaram-se com membros da realeza do continente europeu. Os reis atuais da Espanha, Suécia, Noruega, Dinamarca, Grécia, Romênia e claro, da Grã Bretanha, estão entre seus descendentes. A rainha Victoria é tataravó da atual rainha Elizabeth da Inglaterra. 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras