Elizabeth

Por: Lúcia Helena Maniglia Brigagão

332289

Aberta desde  23 de julho de 2016 , a exposição “Fashioning a Reign: 90 Years of Style from the Queen’s Wardrobe”, também faz parte das comemorações dos 90 anos de Elizabeth, Rainha da Inglaterra.  Mais de cem mil pessoas, especula-se, já passaram em frente às vitrines e praticáveis colocados em alguns dos riquíssimos salões do Palácio de Buckingham, para ver de perto as roupas que a monarca inglesa usou desde seu nascimento até recentemente, como o vestido rosa da abertura das Olimpíadas, quando surpreendeu o mundo e participou de filmagem onde contracenou com Daniel Craig, naquela época ainda o artista que dava vida ao agente secreto  007, outro ícone inglês.  A exposição começa com a vitrine onde estão, entre muitas outras peças,   a réplica da camisola de seu batizado, usada nos recentes batizados da família real; passa pelos vestidos – dela e de sua irmã Margareth, aqueles da coroação de Rei George VI, pai das princesas; mostra os uniformes usados por ela durante a prestação de serviços militares à nação quando da II Guerra Mundial; exibe o maravilhoso vestido, literalmente de princesa, usado no seu casamento, em 1947; apresenta o belíssimo traje de rainha, usado em sua coroação no ano de 1953, e até a roupa amarela do casamento de Kate Middleton com o príncipe William, em 2011. São 150 peças escolhidas, por razões especiais, dentro daquele que deve ser o imenso, rico e variado  guarda-roupa real. Há também os chapéus, capítulo à parte. Sempre se perguntou o motivo de a Rainha jamais aparecer em público sem o acessório; a explicação é que o detalhe faz com que ela se diferencie e seja imediatamente reconhecida, mesmo na multidão. Preocupações e idiossincrasias da realeza. O vestido da ilustração,  o de sua coroação,  foi desenhado por Norman Hartnell, estilista favorito da rainha por décadas, que também desenhou seu vestido de noiva. Uma curiosidade, o traje do casamento, foi claramente inspirado no traje da principal  figura mitológica retratada no belíssimo quadro  Alegoria da Primavera, de Botticelli.  A exposição termina em 2 de outubro, o ingresso custa 21,50 libras. Além da curiosa mostra, o visitante percorre alguns dos salões mais vistos em fotos do palácio, como a Sala de Coroação, o pátio interno gramado e pode chegar perto do Rolls Royce Phantom, carro que transporta a rainha em ocasiões especiais, hoje pintado de vinho e preto, cores reais. Três horas de visita que preenchem os olhos e dão asas e alimento  à imaginação de qualquer pessoa, mesmo que da mais rude plebe, como eu. 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras