Amizade, gratidão, amizade

Por: Zelita Verzola

343991

Depois de passar por dolorosa experiência acompanhando o pai doente, o rapaz se sentia extenuado. Invocava forças para chegar em casa, tomar um banho, dormir. Chega. O telefone toca. Uma amiga pede ajuda. Reluta, mas vai em auxílio. A moça, sabedora então do que ele estivera vivendo, abraça-o, chorando. Relembra-lhe então os versos de Mana Bernardes: “Pequenos gestos/ são enormes/ quando se está/ exausto”. Dupla cura inicia-se. Com a fórmula do título.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras