quando a vida é rio...

Por: Maria Luiza Salomão

346637

a vida é mistério crescente,
minguante,
novo e pleno.
como a lua. 

a vida é mistério. 
é clara e  obscura, 
é calma e futura, 
presente sempre, cheia de passado, 
salpicada de agoras, 
sem horas de acontecer. 
 
a vida é deserto sem fim,  
paroxismo e desespero,
há cactos, no entanto, 
em volta de mim...
 
a vida é floresta embruscada, 
caminho sem trilha, 
haja coragem e fibra 
na travessia distraída. 
 
a vida é mar perigoso, 
roseada de histórias,
pedras rolantes, 
pedras fixas, corais,
nelas nadam peixes coloridos:
olhos de mergulhador podem ver. 
histórias marinhas,
polidas no abandono, no sereno, 
na tempestade, na profundeza. 
 
vida é montanha de obstáculos, 
teima a férrea vontade 
a desalinhar projetos fracos, 
a obrigar alpinismos. 
 quantos recursos tenha,
há que criar túneis, 
com fé na empreitada:
rumo mais alto e cordilheiro, 
topar o desafio.
 
aprender, afinal, com  experiências
é o desafio maior da vida. 
 
mas quando a vida é rio, 
quando flui...serpenteia...
que volúpia e espanto...
terror e êxtase tanto...
carregada pela corredeira, 
ameaçada pela cachoeira, 
precipício suspeito, 
berço uterino, 
o veludoso rio acalma, hipnotiza, 
narcótico ritmo conduz. 
 
sei que a viagem termina...
sei que as margens estreitam no durante, 
e se abrirão infinitas 
para salgar, sem limites, corpo e alma. 
 
com graça ou turbulência, 
os dois ao mesmo tempo,
sei que diluirei, inconsciente, 
calmamente, 
no azul de feroz luz. 
 
naufragarei, bem sei, 
na água de origem.    
 
eu rio  sem saber como viverei.   

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras