Na aurora de sua vida

Por: Angela Gasparetto

353249
Se na aurora da sua vida você não pode se permitir  experimentar o novo que chega sem hora marcada, do que adianta a experiência do velho que já vivenciou na sua caminhada?
 
Se na aurora da sua vida, não puder usar os sapatos multicoloridos de saltos altos que comprou em uma tarde de euforia, do que adiantou toda a economia que teve que fazer nos momentos de penúria ilimitada?
 
Se não puder sair para dançar, beber com uma amiga, rir das mazelas da sua vida, do que adiantaram os anos de retidão forçada ou a faculdade que tomou metade do seu tempo tão precioso?
 
Se na aurora da sua vida, você não puder se levantar, colocar a sua “farda” de mulher supostamente bem sucedida para enfrentar um dia que já se anuncia difícil, do que adiantaram todos os anos de terapia ou livros de autoajuda?
 
Se não puder jogar tudo para o alto sem olhar para trás, do que adiantaram todos os anos onde por ventura suportou uma relação desgastante, um trabalho idem ou mesmo nenhuma perspectiva de mudanças no horizonte que se estendia?
 
Então, que na aurora da nossa vida, nos seja permitido usar os saltos altos em qualquer hora insólita, maquiagem vibrante às 7h da manhã em um domingo de sol, vestidos que nos valorizem além do conforto e, acima de tudo, que na aurora da nossa vida possamos praticar o lúdico vaidoso que toda mulher intrinsecamente possui. 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras