Repórter na rua

Por: Sônia Machiavelli

355664
- Depois de analisar a argumentação do Condephaat, o prefeito disse apoiar  o tombamento da igreja do seu bairro. O que o senhor acha disso?
- Um absurdo. Já me arrependo de ter votado nele. 
- Mas não foi ideia dele; é de um grupo de especialistas que viu na igreja valores culturais, estéticos  e históricos.
- Estão todos interessados é no terreno.
- Que terreno?
- O da igreja. Depois que tombarem ela, e retirarem o entulho, aquilo vai virar estacionamento para alguém muito interessado no negócio.
- Quem?
- O dono do supermercado ao lado
 
 
(...)
 
 
- Estamos fazendo uma pesquisa para saber quem usa Crocs. O senhor usa?
- De jeito nenhum! 
- E na sua família, alguém usa?
- Nunca! Na minha casa isso não entra. 
- Aqui na sua rua  entrevistamos várias pessoas que usam.
- Ah, disso eu sei.
- O seu vizinho, por exemplo, disse que comprou para todos os filhos.
- Ah, eu nunca me enganei com esse cara! Comprou para os próprios filhos? É o fim do mundo!
- Mas nem no fim de semana o senhor usa para relaxar um pouco os pés?
- Os pés?
- Os pés!  As sandálias Crocs são excelentes para o relax dos pés. 
- ?!?!?!
 
 
(...)
 
 
- Acaba de sair o novo PIB; deu  na TV. Bem mais baixinho do que o esperado. O senhor viu?
- Não vi. Tem de várias cores?
- ????
-  Quanto custa?
- O quê?
- O PIB, uai!
- Como assim? O que acha que é o PIB?
- Não é o novo modelo de carro popular?
 
 
(...)
 
 
- Os ambientalistas  andam preocupados com o uso de H2O.  O senhor tem ideia de quanto bebe por dia?
- Eu não bebo.
- Não?!
- De jeito nenhum. Faz dez anos, seis meses e vinte e oito dias que não coloco uma gota na boca.
- Não é possível. H2O é essencial à vida dos seres humanos.
- Só se for  na sua vida e na vida dos seus parentes. Eu bani toda bebida da minha vida; graças a Deus. Aqui ninguém é viciado. Era só eu. Mas isso ficou para trás. 
- Eu bebo, todo mundo bebe, ninguém vive sem beber. 
- Por isso que o mundo está perdido!

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras