Da atualidade de Lao-Tsé.

Por: Caroline Arnold

358742
“Uma longa viagem começa com único passo. / A libertação do desejo conduz à paz interior./A alma não tem segredo que o comportamento não revele./Aquele que tudo julga fácil,  encontrará muitas dificuldades em seu caminho.”
 
Estas quatro frases que mantêm sua atualidade neste nosso século foram escritas, junto a uma centena de outras, há mais de 2500 anos por misterioso personagem da filosofia antiga chinesa chamado Lao-Tsé. Estas duas palavras não constituem  propriamente um nome e  sim uma frase que significa  "grande senhor"; "velho mestre"; “criança velha.”  Lao-Tsé  teria nascido após gestação de oito meses e com cabelos totalmente brancos, como os de um velho.  Seu nome real seria Li Er ou Lao Dan. 
 
Atribui-se a Lao-Tsé a autoria da obra criadora do taoísmo, o "Tao Te Ching", ou “Livro do Caminho e da Virtude.” Junto com a Bíblia, essa obra é uma dos mais traduzidas no mundo.
 
Há pesquisadores modernos que declaram que Lao nunca existiu, sendo apenas uma criação dos fundadores da escola filosófica (daojia) e da tradição religiosa (daojiao).
 
Lenda ou mito, os ensinamentos de Lao-Tsé ultrapassaram as fronteiras da China e o taoísmo se espalhou pela Ásia, sendo assimilado como uma tradição de vida. 
 
Nos anos 1900, uma tradução do Tao em latim foi parar na Inglaterra, o que resultou na disseminação das palavras de Lao-Tsé no Ocidente. 
 
Desde então dezenas de línguas ocidentais traduziram o Tao Te King. No Brasil, as versões para o português eram feitas pelas vias do inglês, do francês e do espanhol. Agora, pela primeira vez, o selo Mantra, da Edipro, lança a primeira obra traduzida diretamente do chinês: o  Dao te King , de Laozi, também conhecido como Tao te King ou Tao te Ching, de Lao-Tsé.
 
Esta versão apresenta a tradicional coletânea de provérbios chineses em primorosa edição capa dura, bilíngue, incluindo os ideogramas do mandarim e seu respectivo sistema de pronúncia pin yin (transliteração fonética). Para a tradução deste clássico do pensamento oriental que fundamenta milenares tradições filosófico-religiosas, tais como o Taoísmo e o Zen, a editora escalou Chiu yi Chih.
 
Natural de Taiwan, porém radicado no Brasil desde os cinco anos, Chih é conhecedor profundo da filosofia Taoísta clássica. Ministra cursos nesta área e é mestre em filosofia antiga pela USP, além de formado em Letras pela mesma Academia.
 
A obra é um documento ancestral que serve de base para muito da filosofia e da religiosidade oriental, como a Medicina Tradicional Chinesa, o Tai-Chi, o Qi-Gong, a Acupuntura e o Taoísmo.
 
A edição traz o texto original, em chinês, com a tradução e a transliteração, atendendo tanto aos interessados na cultura oriental, quanto aos estudiosos do tema. A importância deste texto para a cultura oriental tornou o Dao De Jing um dos livros mais traduzidos do mundo.
 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras