1º Jogos Regionais da Alta Mogiana

Por: Lúcia Helena Maniglia Brigagão

365444

A foto que registra cena dos 1º Jogos Regionais da Alta Mojiana, em 1975, perpetua time de basquete feminino cujo elenco era composto por grandes nomes do esporte francano. Campeãs muitas vezes, em pé, da esquerda para a direita são elas Martha Pucci, Clara Maniglia, Daicy Fuentes, Nenzinha Franchini, Célia Magaline, Marta Reis. Agachadas, também da esquerda para a direita, estão Zuleica Barbosa, Ivone, Cleide Magaline e Olga de Faria.

É OLGA DE FARIA que esta página do Nossas Letras destaca hoje, como Personalidade Francana. Olga de Faria, filha de Albertina Pereira, de Descalvado, SP, e João Claro Faria, de Presidente Prudente, é francana de nascimento. Teve onze irmãos, dos quais apenas Jupyra está viva.

O casal mudou para Franca, morava na Estação, onde João trabalhava como ferreiro. Quando se mudou para Rifaina, onde João encontraria mais chances de trabalho, Olga permaneceu em Franca para estudar.

Olga tornou-se uma das mais populares e queridas figuras francanas, festejada onde chega por todos que a conhecem, desde contemporâneos até netos deles. Nunca se casou, mas tem centenas de afilhados espalhados pelo mundo, que a veneram pelas inúmeras qualidades, das quais a lealdade está no topo.

Uma curiosidade, se poucos sabem seu nome de batismo, seus conhecidos, de todas as gerações a conhecem por Véia, apelido que nada tem de pejorativo, mas é extremamente carinhoso. Ela conta que algumas crianças da família achavam difícil dizer Olga e lhe deram o apelido de Zéia. Amorosa, carinhosa, companheira, natural que a chamassem pelo diminutivo, Zéinha.

Dona Helena Barbosa, professora, ídolo e técnica esportiva, brigava muito com ela durante os jogos e, diante dos resmungos típicos de Olga, disse-lhe que ela não era Zéia; parecia muito mais uma “véia”, pelo tanto que reclamava. Zéia, então, viralizou, virou Véia, apelido pelo qual é conhecida hoje: poucos sabem seu nome de batismo.

Não há registro de ofensas que ela tenha feito a quem quer que seja. Não há quem não a conheça: sair com ela é presenciar pessoas de todas as idades ou status reverenciando-a. Outra característica marcante, sua memória prodigiosa: lembra-se de nomes e detalhes de cenas deletadas na memória de pessoas muito mais jovens que ela.

Mas, em contrapartida, jamais fez referências negativas sobre alguém. Aliás, é pessoa das mais discretas e confiáveis que possam existir. Muitos francanos não conhecem personalidades ligadas à sua história, ainda que nomes de logradouros públicos: esses mesmos francanos sabem quem é a Véia, pois que se tornou unanimidade no afeto de todos e referência de delicadeza e afetividade. Professora primária pelo Colégio Jesus Maria José de Franca, é formada em Educação Física pela Escola Superior de Educação Física de Batatais. Olga, ou Véia, é um ser humano digno. Verdadeiro privilégio conviver com ela. 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras