Chega um tempo...

Por: Angela Gasparetto

384202

Chega um momento que não dá para adiar mais nada. 

Não dá para esperar o momento certo, a hora mais oportuna. A vida urge. Bate à sua porta, arromba sua janela. Grita no recôndito da sua alma, esbraveja na esquina da sua vida. Chega um momento que é agora ou nunca, tudo ou nada, ou seja, a tão almejada felicidade não espera, pelo contrário, ela te escapa entre os dedos, mesmo porque é da sua natureza ser fugaz e ambígua.

E chega um tempo que percebemos o quão forte estamos para enfrentar aquelas questões que se fossem antes, com certeza fraquejaríamos.

O quanto aquela dor maior tornou-se repentinamente suportável e até administrável.

Chega um tempo que estamos prontos para partir, deixar fluir ou mesmo deixar seguir.

Neste tempo, percebemos o quanto trilhamos aquele deserto, de como amargamos cansados aqueles caminhos, principalmente com sede de compreensão.

Chega um tempo que toda situação que se assemelhava a uma fera insana, repentinamente transforma-se num gatinho doce, que ainda pode te arranhar, mas também já não te morde tão vorazmente.

Chega esse tempo, o tempo da aceitação do inexorável da vida e do perdão consciente. E chega o tempo que ficamos plenos da certeza de que somos apenas passageiros, nesta viagem de autoconhecimento e redenção. 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras