Londres

Por: Lúcia Helena Maniglia Brigagão

384206

Tenha a idade que tiver, nem quem vive na cidade desde o nascimento pode dizer que conhece Londres. Quanto mais o turista, que fica na cidade por sete dias ou que vá sempre para estadias de alguns meses. Londres é muitas cidades que se espalham ao logo do Tâmisa e sob céu quase sempre coberto de nuvens. No entanto, o centro da cidade, esse se pode conhecer, superficialmente, em poucos dias e a pé. Ou seja, o turista saberá reconhecê-la, depois de ver pelo menos uma vez, alguns dos ícones dessa cidade surpresa. Londres é cidade muito antiga, comparada com suas vizinhas européias. Tem população que gira em torno de 9 milhões de pessoas, espalhadas numa área aproximada de 1600 km². Algumas informações superficiais, tiradas de sites de pesquisa, está ao lado de cidades como Nova York, Tóquio e Paris e é dos maiores, mais importantes e influentes centros financeiros do mundo. O centro da cidade abriga a sede de mais da metade das 100 melhores companhias do Reino Unido e mais de 100 das maiores da Europa. Posição global invejável, bastante permeável e cosmopolita, recebe e ao mesmo exerce forte influência na política, finanças, educação, entretenimento, mídia, moda, artes e cultura do mundo todo. Gama extensa de povos, culturas e religiões, mais de 300 idiomas são falados em seu território. Está em Londres a mais extensa rede ferroviária subterrânea do mundo e o aeroporto mais movimentado do planeta, em número de passageiros internacionais. Natural que seu espaço aéreo seja mais movimentado que qualquer outro centro urbano do planeta. São quatro os Patrimônios Mundiais da Unesco localizados na cidade: um, a Torre de Londres - palco das terríveis histórias de Ana Bolena e Henrique VIII e onde estão guardadas as jóias da rainha Elizabeth; dois, os Kew Gardens – impossível de serem visitados numa estadia de poucos dias; três, os locais que compreendem o Palácio de Westminster, a Abadia de Westminster, o Big Ben e quatro, Greenwich – o local do meridiano Zero Grau Longitude. Há outros marcos famosos: Palácio de Buckingham, London Eye, Piccadilly Circus, Catedral de Saint Paul, Carnaby Street, Covent Garden e duas praças – a Leicester Square e a Trafalgar Square. Parques? Muitos. Central Park, Regent’s Park, Kensington Gardens, Green Park. Diferente de outros trajetos, se o turista dispuser de uma semana, a pé, ele conhecerá o miolo de Londres e a maior parte desses locais citados. No entanto, aposto, quando ele fechar os olhos e pensar em Londres, imediatamente virá à memória essa paisagem acima do Palácio de Buckingham e parte do Saint James Park, cenário de filmes com histórias de várias épocas. Que ele fique atento: a bandeira, também conhecida como Estandarte Real, em púrpura e azul cheia de leões dourados, poderá hasteada no alto do prédio, e isso indica a presença de Elizabeth II no local. Com sorte ele poderá ver se abrirem os pesados portões de ferro dourados para dar passagem às carruagens, puxadas por magníficos cavalos, transportando alguém da realeza. Londres é sempre uma surpresa. 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras