O que realmente importa

Por: Angela Gasparetto

392379

Quando um ano chega ao fim, quase todos nós em algum momento pensamos se o mesmo valeu a pena, se realizamos todas as metas traçadas e se o saldo foi positivo.

Penso que ao longo do ano, normalmente não pensamos nas promessas ou pretensões que fizemos em uma noite de réveillon, repleta de alegria e champanhe; pelo contrário, vamos é resolvendo as questões como se apresentam.

Pelo menos comigo é assim. Mas confesso que meio inconsciente vou tentando dentro do turbilhão que acontece durante todos os anos, cumprir as metas que tracei. Entre cinco, às vezes consigo atingir uma. Não sei se é o seu caso, querido leitor.

Por outro lado, esta semana, do nada, fiquei pensando que, embora todas as metas traçadas, o importante é você encontrar o seu núcleo de felicidade.

Dessa felicidade que muitas vezes não está dentro das tais metas almejadas para o ano que se inicia, mas daquela que é repleta de gratidão pelo que você já alcançou, de tudo de positivo que está ao seu redor. E se olharmos bem, todos temos algo positivo.

Falo dessa felicidade já conquistada que permeia sua vida e como ela está lá todos os dias, você quase que a absorve e não a vê, porque ela não faz falta, já o completa o ano todo.

Essa felicidade pode ser a da paz conquistada depois de muitos anos de luta, a da família ao seu redor, com a qual você pode contar de olhos fechados. Pode ser de um trabalho que o complete e faz com que você acorde todos os dias com fúria de viver.

Pode ser um amor que o compreenda, o apoia e está lá apenas ao toque de um simples chamado. Podem ser os filhos, os netos, os sobrinhos ou os amigos que escolheu como uma família. Pode ser um projeto solidário, uma causa que já atua e o enobrece.

Essa felicidade que está ali, palpável, pronta para se viver todos os dias. Essa que lhe dá consistência em um mundo tão incongruente, essa que é a base da sua vida, que o equilibra e o fortalece e pela qual você não precisa traçar metas antecipadas, porque ela já se encontra ali, pronta para ser vivida todos os dias e em todos os anos que se iniciam.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras