A flor obscura da ilusão

Por: Maria Rita Liporoni Toledo

395205

Entre as flores que cultivava não esperava encontrar a flor obscura da ilusão que, a princípio, parecia igual as outras que lhe emocionavam sem pedir nada em troca, ofertando sua beleza e perfume. Esta, de olhos claros e cachos nos cabelos, com seus trejeitos dengosos e atrevidos iludiu-o e enredou-o em sua trama cativante. Tomado pela paixão, ela o fez deixar sua estabilidade física e emocional com falas insinuantes e promessas vãs.

Tinha sua casa bem equipada, na chácara onde cuidava com zelo e carinho do vistoso jardim e nada mais, pois uma dor atroz na perna esquerda, que o fazia mancar, impedia-o de serviços mais pesados. Aposentara-se, recentemente, e recebera uma quantia significativa que mais que o bolso preenchera- lhe o coração de felicidade, mérito de anos de trabalho. Ria à toa, dizendo ter enriquecido. A novidade correu mundo e ele tornou –se alvo fácil para pessoas interesseiras.

Mudou-se para a cidade com sua nova companheira, entusiasmado e feliz com a perspectiva de uma vida a dois cheia de afagos e prazeres. Em seu devaneio, não percebia que, motorizada, ela saía o dia inteiro, gastando em futilidades, enquanto ele ficava em um quartinho abafado sem vista para a rua. Os seus recursos só duraram um mês. Foi este o tempo que ela o amou, como Marcela , de Brás Cubas que o amou durante quinze meses e onze contos de réis.

Abandonado, pediu para voltar ao seu jardim, no que foi aceito, pois as plantas começavam a sentir sua ausência, tombando sem viço, em meio ao mato já crescido. Acomodou-se em sua casinha, sossegado, lamentando não tanto o dinheiro perdido, mas sua ilusão em acreditar naquela mulher sedutora, de tão bela aparência, mas impregnada de falsidade. Os outros empregados zombavam dele, mas o patrão, homem de bem, não deixou fomentar aquele assunto, pois expor a miséria alheia não é ser misericordioso.

Aos poucos, a vida foi voltando à rotina, esmerava-se no plantio e cuidado com as plantas e elas eram-lhe sinceras, retribuíam com formosura e galhardia, em vicejantes galhos floridos.

 


 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras