Paizando

Por: Dione Castro

400354

De tempos em tempos nos deparamos com rosas de beleza e perfumes avassaladores. A contrasenso e gosto, frente à beleza há espinhos. Até mesmo naquilo que é belo observa-se a feiúra. Parece-me ser um ponto de convergência imposto pelo universo, um dissabor sagrado que nos endurece para o caminhar. Viver.

Como interlocutor do que sinto, encontro-me em minha humana limitação. Esta minha mania de tentar tudo conceituar me enlouquece. Mas, mesmo assim indago: Seria um esplendor os cento e sessenta e quatro batimentos por minuto? Ou, precursor (a) do meu caminho?

Ser.

A vigor, como genitor digo que seu coração fez-me sentir. Antes mesmo de lhe apresentar a vida fora do conforto de sua mamãe, quero expor a vibração pacificadora que o mundo tanto precisa. Contrapor qualquer triste realidade é uma justa conduta. Portanto, como dito, antes mesmo de conhecer a vida fora do sagrado útero, lhe apresento o vigor do meu amor.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras