Talvez...

Por: Angela Gasparetto

406469

Início do ano. Talvez se você olhar para trás nessa última década verá quantas vezes teve que retroceder para continuar. Com certeza deve ter corrido muitas manhãs com seu fone de ouvido e lágrimas nos olhos.

Talvez tenha esbarrado com um ex ou outra pessoa e teve que dar seu sorriso mais luminoso, quando a escuridão revestia a sua alma.

Sim, talvez nessa década teve que mudar de casa, de cidade ou até de país para esquecer, ou até para se lembrar de quem é de verdade.

Você olha para trás e vê quantas risadas deu com sua amiga querida ou quantos chopes tomaram olhando pelo vidro da sua vida, acreditando que sim, tem jeito. Você descobriu nessa década - que ainda não acabou - que são esses momentos fugazes que fazem uma vida valer a pena. Esses com seus filhos, amigos, uma viagem, um salto na alegria momentânea dos dias.

Talvez nessa década você teve que se despedir de alguém querido e de posse desse vazio, procurou inúmeras saídas para preenchê-lo. Talvez você tenha batido muito a cabeça, caso seja essa pessoa que apesar da fé, não tem vergonha de às vezes fraquejar sob o furacão das dores inesperadas.

Com certeza teve que segurar a mão de alguém e dizer que tudo iria ficar bem, embora não visualizasse saída naquele labirinto de tragédias particulares.

É, talvez nessa década você tenha tido que se reinventar, achar beleza onde havia só o escuro inexorável da vida. E talvez tivesse que olhar outra pessoa com novos olhos e depois ser obrigada a desistir porque já não havia mais desculpas aceitáveis para ela. Talvez tenha traçado inúmeras metas, das quais a metade não se concretizou, mas que foram justamente as que a tornaram mais sábia e resiliente.

Talvez nessa década você tenha corrido tanto dos seus fantasmas que hoje, agora, aqui em 2020, você exausta, mas com um secreto brilho nos olhos, contempla vencedora o seu passado e sorri confiante para o seu futuro.
 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras