(Des) pentear

Por: Maria Luiza Salomão

406472

Penteando, cuidadosa, apreendo ideias, pensamentos, sentimentos. Pente fino para realizações; pente grosso para ressentimentos. Remoer passados gasta energia inútil: deixo passar entre dentes. “Paixão triste”, ressentimento: sem futuro.

Não gosto de pentear cabelo. No casamento da minha filha, a cabeleireira marroquina me fez um penteado. Meu marido: - é assim mesmo, ou está despenteado?

Cabelos e ideias devem viver em liberdade: eu os quero bem lavados/ secos/cuidados/ perfumados.

O mundo tem mudado rápido, como meus cabelos: embranquecidos, tintos mensalmente, com variações de tonalidades - caju, marrom. Os pelos afinam dia a dia, noite a noite, à minha revelia.

As ideias também afinam, refinam; necessitam de cortes frequentes, ideias e sentimentos seguem os mesmos cuidados que tenho com minhas melenas.

Grenhas – dantes cacheadas – em volume e ondulações – se alisam com o tempo: ideias também. Bem passadas, a tempos intensamente vividos, resistem.

Escrevo exatas 300 palavras (algarismo lindo/redondo). Palavras colhidas, escolhidas, recolhidas, com função exata para meu semblante – espelhado fugazmente.

(a alma exala odores, há pessoas sensíveis a eles – às vezes perfumam agradavelmente e, às vezes, são repelentes! Sentimos nosso próprio cheiro d´alma; não é o nariz o órgão que detecta o seu perfume)

Não tive costume de pentear meus cabelos por décadas. Também tive ideias bem descabeladas: imaturidades. Não é mais assim, mas continuo avessa aos pentes.

Prefiro dedos: acariciar/acomodar as madeixas; sem moldes rígidos. Também não quero que as ideias se amoldem a pressões de qualquer ordem, filosofias penteadas, que não se adaptem ao meu modo de ser e pensar.

(Des) penteio mudanças de tempos e experiências. Meu molde vem de algo que não controlo. Como os cabelos: não os escolhi brancos, finos, rebeldíssimos: eles se me revelam o que fui, que sou, a despelar paulatinamente.

Mudo, permanecendo. Torno-me calva, despetalando cabelos e ideias, à minha própria revelia.

 

  

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras