Quarentena (2)

Por: Luiz Cruz de Oliveira

408059

O cientista-músico-poeta Paulo Vanzolim compôs uma canção, Ronda. Na narrativa, a personagem percorre a Avenida São João, procurando seu amado por todos os bares. A busca é inútil.

Nestes dias, é a morte que ronda por avenidas e becos. Entra sem pedir licença, esgueira-se pelos cômodos e se vai. Sua busca obsessiva e insana limita sua visão. E ela não me vê.

Então, estátua atrás da porta, abro os olhos e respiro longamente. Consegui driblá-la.

Ganho mis um dia.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras