Jane Austen

Por: José Antonio Pereira

A inglesa Jane Austen nasceu em Steventon, Hampshire, em 1775. Seu pai era pastor anglicano. Sua mãe, uma mulher levemente confusa. Jane viveu grande parte de sua vida, que não foi longa, neste meio, cercada por um grupo pequeno pertencente à chamada ‘aristocracia rural’. E foi analisando homens e mulheres no seu cotidiano que traçou um rico painel de tipos.

Dotada de impressionante poder de observação, aos 15 anos Jane já transferia para suas histórias perfis da gente que desfilava sob seus olhos críticos. Aos 17 já tinha pronto Lady Susan, paródia ao estilo sentimental então em vigor. Desde o início de sua vida de escritora, a narrativa melosa não a atraía. Talvez seu temperamento um tanto irônico a fizesse desconfiar do artificialismo das histórias românticas. Foi seguindo um caminho próprio que ela passou a registrar não o que a sua imaginação pudesse lhe trazer de ilusões, mas sim a realidade que se desdobrava.

Contida em seus sentimentos, o que nunca traduziu falta de espontaneidade ou riqueza em sua efabulação, Jane Austen tratou da dualidade ‘razão e sentimento’em todos os seus romances. Às vezes ela foi determinante na história a ponto de lhe dar título, como em Razão e Sensibilidade. Em outras, um subtema ou apenas um dos motivos. Seus outros romances são Mansfield Park, Emma, Persuasão e Northanger Abbey.

Jane Austen morreu em Winchester, no dia 18 de julho de 1817. Tinha 42 anos.
 
Sônia Machiavelli é autora de Uma bolsa grená, Estações, Jantar na Acemira e O poço

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras