A casa de meus pais

Por: José Antonio Pereira

retratos amarelados
lustres em cacos
o pó nos tapetes
louças lascadas.



a casa de meus pais...



sem cores, sem luzes
sem frestas
nenhum brilho
sem vozes internas



a casa de meus pais...



sem cheiros, sem gestos
algum movimento
nenhum alento
na casa de meus pais.



uma calma com pânico
lentidão sombria
fragmentos de vida
relíquias sem valor



mofo, telhas quebradas, cheiro de morte



e o tempo, impunemente
na casa de meus pais.



 

Claudia Filipin Leitora

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras