TOM TYKWER

Por: José Antonio Pereira

Tykwer é alemão e dirigiu também o premiado “Corra, Lola, corra”, em 1998. Stanley Kubrick, morto em 1999, comprou os direitos autorais de Süskind, mas não conseguiu imaginar como filmá-lo, e vendeu os direitos para o atual produtor do filme, Bernd Eichinger.

Tykwer diz que foi difícil filmar a cena das dez mil pessoas reunidas para assistir a execução de Grenouille (cena de abertura) e que mudam radicalmente de atitude, por força do “perfume”, máscara odorífica para dominar as pessoas. Lembra o registro dos discursos inflamados de Hitler.

Tykwer comenta o sucesso do livro O Perfume: “há temas universais, o desejo de reconhecimento, de ser amado, de ser visto, de ser ‘alguém’, e a idéia de que há um gênio escondido em cada pessoa, e que, se não se expressar, o mundo ficará mais pobre! É um mito que todos nós carregamos.”

Ben Whishaw (Grenouille) desempenha o difícil “vilão”, como aquele de Anthony HOpkins no filme “O silêncio dos Inocentes”. Grenouille precisa despertar simpatia e horror, fascínio e, ao mesmo tempo, tornar crível a sua aura de “inocente crueldade”, digamos assim. A crueldade primitiva que a criança tem, antes de adquirir um senso moral, civilizado.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras