Convite às letras

Por: José Antonio Pereira

Enquanto o século XXI abre seus olhos para os olhos da vida e do mundo, a Ribeirão Gráfica e Editora convida os escritores francanos a reunir seus olhares sobre vida e mundo: lança-se em mais uma de suas edificantes produções literárias; e Franca, cidade privilegiada nas artes, não lhe falta ao convite.

Nas páginas da Seleta XXI, lançada no último dia 4, na AABB (Associação Atlética do Banco do Brasil), o leitor tomará contato com o que aqui vem germinando, florescendo, frutificando e sendo colhido na seara das Letras. Pelas mãos dos autores, ele será conduzido, através e além das linhas, aoespaço linguístico que se ergue em e entre prosa e verso; ao intervalo pulsante, temporal-atemporal, que paira no campo do sensível-intangível: o universo vivo e generoso da Palavra Literária, onde se ferem cordas anímicas e se entoam silêncios.

Porque é ali, naquele espaço, no intervalo entre o Ser e o Sentir, que se encontra a Literatura; ali, onde habita e palpita a essência de todas as coisas, e que é, nas palavras de Santiago Kovadloff, “silêncio primordial”; ali, onde se inscreve e pulsa a “linha de mistério e fogo”, de cuja existência Clarice Lispector já nos advertia: “Entre duas notas [...] existe uma nota, entre dois fatos existe um fato, entre dois grãos de areia por mais juntos que estejam existe um intervalo de espaço, existe um sentir que é entre o sentir - nos interstícios da matéria primordial está a linha de mistério e fogo que é a respiração do mundo, e [...] é aquilo que ouvimos e chamamos de silêncio”. É nesse silêncio audível, nessa nota-intervalo entre notas, que ela, a Literatura, está, e vive. E é nela que se colhem, em furtivas pautas, sons que cantam, alma a alma, melodias universais.

Ao lançar, na ainda manhã deste século, a Seleta XXI, a Ribeirão Gráfica e Editora nele se imprime como harmônica literária voz - a que acorda cantos de silêncio. Nas páginas desses três tomos, de que tenho a honra de participar, o leitor reconhecerá os espaços sensíveis, os sonoros intervalos em que se inscreve a Literatura Francana.

Nota: Reprodução (com adaptações) da orelha dos livros



 

Eny Miranda Médica e poeta

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras