Pequeno amor

Por: José Antonio Pereira

Olhos pretos cor da noite
A pele branca, o corpo nu
Nos meus olhos o desejo
Nada além do beijo

Os olhos brilhavam
Na escuridão me buscavam
A inocência permeava
A doce infância acabava

As bocas se abriram
Os olhos fecharam
O corpo tremeu
Seu coração é meu...

Descobertas, amor, solidão!
Beijos, afetos, arrepio
Vivemos com paixão
Dias de calor e frio

Os dias se vão e tudo parece em vão
Na longa estrada (como dizia o poeta!)
Vou eu em busca
Do menino que se foi

As mãos mentem
Os corpos tremem
O suor escorre
O sangue corre

O dia nem chegou
O menino se foi, o homem me deixou
A lembrança vagou
O sonho apagou

Lembro-me da realidade
Todo dia a saudade
Ninguém é de ninguém
A vida é só vaivém

Como saber:
Desistir, persistir
Calar, amar, perder
Fugir ou invadir?

As respostas não existem
Os instintos persistem
Na longa estrada da vida
Inevitável é a despedida!



 

Isabela Teodoro Educadora e secretária

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras