Thomas McCarthy

Por: José Antonio Pereira

Americano de Nova Jersey, nascido em 30 de janeiro de 1966, Thomas McCarthy faz parte de um grupo pouco comum de cineastas: os que começam atores, viram roteristas e acabam dirigindo filmes, em geral de grande qualidade.


A sua carreira de intérprete teve início em 1990 na série para TV Law & Order. Daí, onde ficou anos, ele migrou para a telona em 1997 com Teoria da conspiração.


Fez vários filmes. Um deles,  O Visitante, em 2007, que Maria Luiza Salomão analisa ao lado.


Logo em seguida a esta obra que desperta muitas reflexões, produziu em 2009 UP- Altas Aventuras, um desenho concebido para crianças e que fez suceso extraordinário também junto aos adultos, sendo um dos filmes mais vistos na Europa, nos EUA e no Brasil nos últimos meses. No fundo é a mesma saga de O visitante: um homem de meia idade fica deprimido quando morre sua mulher; e só consegue resgatar a alegria de viver na companhia de outra pessoa que toca o seu coração, no caso, uma criança. Com Up, ganhou o Oscar de Melhor roteiro original em março passado.


Thomas McCarthy não é apenas o diretor de O Visitante. Ele é o autor do roteiro original. Sua história pode ser vista como uma narrativa que gira em torno do eixo temático ‘visita’ e se divide ao meio, equilibrando-se de forma estética admirável. Há dois visitantes nesta história que não é singular. Na primeira metade, o professor é visitado pelo imigrante; na segunda, ele o visita. Na linha clara de construção do filme, imagens metafóricas e diálogos inteligentes.

(SM)

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras