Propaganda chinesa é acusada de racismo ao lavar negro

Propaganda chinesa é acusada de racismo ao lavar negro

Uma propaganda chinesa de uma marca de sabão para lavar roupas tem recebido críticas e foi chamada de "comercial mais racista" já veiculado.

Uma propaganda chinesa de uma marca de sabão para lavar roupas tem recebido críticas e foi chamada de "comercial mais racista" já veiculado.

28/05/2016 | Tempo de leitura: 1 min

28/05/2016 - Tempo de leitura: 1 min

Uma propaganda chinesa de uma marca de sabão para lavar roupas tem recebido críticas e foi chamada de "comercial mais racista" já veiculado.

Na propaganda, um homem negro aparece com a roupa e o rosto sujos e flerta com uma mulher chinesa. A jovem aproveita a aproximação do homem e coloca na boca dele uma cápsula do sabão. Em seguida, o homem é empurrado para dentro de uma máquina de lavar. Ao final da "lavagem", um homem chinês sai da máquina, como se o sabão tivesse "embranquecido" o homem negro. A chinesa demonstra estar satisfeita com a mudança e o comercial termina.

Segundo o site G1, a propaganda já é veiculada na China há cerca de um mês, mas só passou a ser criticada e viralizou na web quando artistas de outros países começaram a criticar a mensagem racista contida na publicidade. O dono da marca de sabão para roupas Qiaobi disse à BBC não ter percebido conteúdo racista no comercial. "Não sei muito sobre aquele anúncio", respondeu ele, que preferiu se identificar apenas como Sr. Xia. "Para ser honesto, eu não prestei muita atenção no anúncio", continuou o proprietário da marca.

O inusitado é que em 2008, uma pesquisa global entrevistou pessoas de 16 países sobre a discriminação racial e, na ocasião, 90% dos chineses disseram que a igualdade racial é importante. No entanto, segundo o censo mais recente, há 600 mil estrangeiros vivendo na China, sendo que uma pequena parcela deles é negra. A maior parte da população chinesa, 1,3 bilhão de pessoas, dificilmente interage com os negros.

Uma propaganda chinesa de uma marca de sabão para lavar roupas tem recebido críticas e foi chamada de "comercial mais racista" já veiculado.

Na propaganda, um homem negro aparece com a roupa e o rosto sujos e flerta com uma mulher chinesa. A jovem aproveita a aproximação do homem e coloca na boca dele uma cápsula do sabão. Em seguida, o homem é empurrado para dentro de uma máquina de lavar. Ao final da "lavagem", um homem chinês sai da máquina, como se o sabão tivesse "embranquecido" o homem negro. A chinesa demonstra estar satisfeita com a mudança e o comercial termina.

Segundo o site G1, a propaganda já é veiculada na China há cerca de um mês, mas só passou a ser criticada e viralizou na web quando artistas de outros países começaram a criticar a mensagem racista contida na publicidade. O dono da marca de sabão para roupas Qiaobi disse à BBC não ter percebido conteúdo racista no comercial. "Não sei muito sobre aquele anúncio", respondeu ele, que preferiu se identificar apenas como Sr. Xia. "Para ser honesto, eu não prestei muita atenção no anúncio", continuou o proprietário da marca.

O inusitado é que em 2008, uma pesquisa global entrevistou pessoas de 16 países sobre a discriminação racial e, na ocasião, 90% dos chineses disseram que a igualdade racial é importante. No entanto, segundo o censo mais recente, há 600 mil estrangeiros vivendo na China, sendo que uma pequena parcela deles é negra. A maior parte da população chinesa, 1,3 bilhão de pessoas, dificilmente interage com os negros.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.