Garoto francano pede pão com presunto de Natal e emociona

Garoto francano pede pão com presunto de Natal e emociona

Com letra bonita e palavras simples o pequeno Bruno, que mora com a avó em uma casa humilde na rua São Paulo, na Vila Aparecida, pediu um pão, com presunto e muçarela e, se possível, uma cesta básica.

Com letra bonita e palavras simples o pequeno Bruno, que mora com a avó em uma casa humilde na rua São Paulo, na Vila Aparecida, pediu um pão, com presunto e muçarela e, se possível, uma cesta básica.

25/12/2017 | Tempo de leitura: 2 min

25/12/2017 - Tempo de leitura: 2 min

Menino se emociona ao lado da avó durante leitura da carta que pede um bauru de presente de Natal
O pedido diferente realizado em uma cartinha, escrita por um menino francano de 11 anos, emocionou muitas pessoas nos dias que antecederam o Natal. Com letra bonita e palavras simples o pequeno Bruno, que mora com a avó em uma casa humilde na rua São Paulo, 1326, na Vila Aparecida, pediu um pão, com presunto e muçarela e, se possível, uma cesta básica.
 
A história, divulgada pela EPTV na última sexta-feira, 22, emocionou dezenas de pessoas que procuraram a emissora em busca de mais informações para ajudar o menino e a avó. O desejo inicial já havia sido realizado pela vendedora Mayara Estevão e o marido, responsáveis por encontrar a cartinha na garagem do prédio onde moram, no Jardim Lima.
 
“Quando ele (marido) me mostrou, eu fiquei muito comovida. Chorei muito, porque essa cartinha dele é muito especial e muito diferente", disse em entrevista à EPTV.
 
Depois da história ser divulgada, o menino recebeu dezenas de presentes. Cestas básicas, panetones, tênis, material escolar estão entre os mimos entregues para o garoto que afirmou preferir comida a brinquedos e agradeceu a ajuda de todas as pessoas que os procuraram.
 
Bruno vive com a avó, Maria Sueli Cintra, pensionista, que atualmente realiza um tratamento contra câncer no intestino.  
 
Confira o conteúdo da cartinha na íntegra: 
 
Querido, Papai Noel!

Sou Bruno. Tenho 11 anos. Moro com minha vozinha desde que nasci e ela está muito doente. Operou do intestino e agora faz quimioterapia. Oro para que ela sare logo. Escrevo porque vivemos de um salário mínimo para aluguel, água, luz e remédios que o SUS não dá. E ela não pode comprar uma coisa que gosto muito, que é o bauru. Gostaria de ganhar pão de forma, presunto e muçarela para matar a minha vontade e, se possível, uma cesta básica para alegrar meu Natal e de minha avó. Venha me visitar.

Feliz Natal! Deus lhe dê em dobro!
O pedido diferente realizado em uma cartinha, escrita por um menino francano de 11 anos, emocionou muitas pessoas nos dias que antecederam o Natal. Com letra bonita e palavras simples o pequeno Bruno, que mora com a avó em uma casa humilde na rua São Paulo, 1326, na Vila Aparecida, pediu um pão, com presunto e muçarela e, se possível, uma cesta básica.
 
A história, divulgada pela EPTV na última sexta-feira, 22, emocionou dezenas de pessoas que procuraram a emissora em busca de mais informações para ajudar o menino e a avó. O desejo inicial já havia sido realizado pela vendedora Mayara Estevão e o marido, responsáveis por encontrar a cartinha na garagem do prédio onde moram, no Jardim Lima.
 
“Quando ele (marido) me mostrou, eu fiquei muito comovida. Chorei muito, porque essa cartinha dele é muito especial e muito diferente", disse em entrevista à EPTV.
 
Depois da história ser divulgada, o menino recebeu dezenas de presentes. Cestas básicas, panetones, tênis, material escolar estão entre os mimos entregues para o garoto que afirmou preferir comida a brinquedos e agradeceu a ajuda de todas as pessoas que os procuraram.
 
Bruno vive com a avó, Maria Sueli Cintra, pensionista, que atualmente realiza um tratamento contra câncer no intestino.  
 
Confira o conteúdo da cartinha na íntegra: 
 
Querido, Papai Noel!

Sou Bruno. Tenho 11 anos. Moro com minha vozinha desde que nasci e ela está muito doente. Operou do intestino e agora faz quimioterapia. Oro para que ela sare logo. Escrevo porque vivemos de um salário mínimo para aluguel, água, luz e remédios que o SUS não dá. E ela não pode comprar uma coisa que gosto muito, que é o bauru. Gostaria de ganhar pão de forma, presunto e muçarela para matar a minha vontade e, se possível, uma cesta básica para alegrar meu Natal e de minha avó. Venha me visitar.

Feliz Natal! Deus lhe dê em dobro!

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.