24 de agosto de 2019

Opinião

Discípulos

A Palavra de Deus nos ensina que nós todos somos chamados por Deus para sermos profetas como Isaías e pescadores de homem como Pedro.

Opinião 10/02/2019 -

A Palavra de Deus nos ensina que nós todos somos chamados por Deus para sermos profetas como Isaías e pescadores de homem como Pedro.

 Primeira Leitura: Isaías 6: Há experiências na nossa vida que não podem ser reveladas com palavras: Isaías não viu “uma aparição”, mas narra, sob a forma de visão, a sua experiência interior. Certo dia, percebe que o Senhor o chama para ser seu profeta. Tem plena consciência da própria fraqueza e da própria indignidade e tem medo da missão. Como poderá ele, homem de lábios impuros, anunciar a palavra do Deus três vezes Santo? Deus, porém não se apavora diante do pecado; Ele tem o poder de purificar o homem e torna-lo apto a transmitir a sua mensagem. Isaías, embora sentindo-se indigno, não hesita. Diz imediatamente: “Eis-me aqui, envia-me”.

Segunda leitura: 1ª Coríntios 15: Em Corinto muitos tinham abraçado o Evangelho como uma sublime doutrina moral, indicada para ensinar a viver sabiamente; entretanto, havia muitos que relutavam em acreditar na Ressurreição. Depois da morte, diziam, os homens desaparecem completamente, ou, no máximo, só uma parte espiritual, uma sombra, quase nada, sobrevive. Paulo reage com firmeza contra esta deturpação da verdade central da mensagem cristã. Ensina ele: meus irmãos, se esta for a vossa fé, em vão abraçastes a fé. Lembra, depois, aos cristãos de Corinto e profissão de fé proclamada em todas as comunidades: “Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, foi sepultado e ressurgiu ao terceiro dia, segundo as Escrituras”. Paulo sugere-nos meditar as Escrituras, escutar a palavra de Deus que nos é transmitida nas nossas comunidades, abrir o nosso coração à iluminação do Espírito.

Evangelho: Lucas 5: Por que Jesus nos convida a segui-lo? Lucas não responde com argumentos, mas narra um episódio da vida de Jesus: o chamado dos primeiros discípulos. O motivo principal pelo qual Lucas nos narra este episódio é o de explicar aos discípulos das suas comunidades que a missão que devem cumprir neste mundo é esta: são chamados a ser “pescadores de homens”. Homens que devem ser “Pescados”, isto é, recuperados para a vida, são os que se sentem dominados pelos seus vícios, que estão à mercê das suas paixões violentas, que só praticam o mal para si mesmos e para os outros. Mas o “peixe” que deve ser libertado da sua condição desesperadora é a humanidade inteira, que corre o risco de ser tragada pelas forças do mal: o egoísmo, a violência, o ódio, a guerra, a mentira, a corrupção moral, a destruição da família. Os discípulos de Cristo têm a missão de salvá-la desta catástrofe.

 

Monsenhor José Geraldo Segantin
Pároco da Igreja de Santo Antônio e vigário geral da Diocese -segantin@comerciodafranca.com.br 


COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

VER MAIS