23 de julho de 2019

Brasil e Mundo

Avó e neta morrem soterradas após sair de festa no Rio

A avó havia levado Júlia para uma festa no shopping, um dos mais tradicionais da zona sul carioca.

Brasil e Mundo 09/04/2019 - Repórter: FolhaPress
Foto de: Reprodução
Lúcia Xavier Sannento Neves, 63, e a neta Júlia Neves Aché

Por horas, a mensagem circulava por redes sociais e grupos de WhastApp: Lúcia Xavier Sannento Neves, 63, e a neta Júlia Neves Aché, 6, estavam desaparecidas desde a noite de segunda-feira (8), quando pegaram um táxi para voltar do Rio Sul.

A avó havia levado Júlia para uma festa no shopping, um dos mais tradicionais da zona sul carioca. Na última troca de mensagens com os pais da menina, que estavam de férias na Califórnia, eles pediram para ela evitar passar pela avenida Carlos Peixoto, também conhecida como ladeira do Leme. Era perigoso, alertaram.

Foi justamente essa via, que liga os bairros de Copacabana e Botafogo e margeia uma encosta onde não raramente há deslizamentos de terra e também assaltos, que o taxista Marcelo Tavares Marcelino acabou pegando.

Os corpos dos três foram encontrados nesta terça (9), engrossando a lista de nove vítimas da tempestade que atingiu o Rio nas últimas 24 horas. A esposa de Marcelo esteve no sítio onde o marido morreu, chorando muito.

Tatiana, a Taty, perdeu a mãe e a filha de uma só vez. Ela e Felipe, pai da Júlia e genro da Lúcia, estão voltando para o Brasil.

Filha única, a criança teve um problema de saúde quando bebê, superado com uma cirurgia. Era tratada como uma sobrevivente pela família.

Foram horas de agonia até a confirmação das mortes. Amigos de Tatiana e Felipe e moradores da região, que abriga uma vila militar, chegaram a ir até o local antes do amanhecer. Mas não havia indícios do carro –só de outros dois, que foram socorridos. Até a notícia de que avó e neta, ainda com paradeiro desconhecido, podiam ter entrado num carro roubado chegou à família. Era falsa.

Um amigo dos pais foi ao Rio Sul e, por meio de imagens de câmeras de segurança, confirmou que avó e neta haviam embarcado no carro de Marcelo por volta das 21h45. Como Lúcia estava com uma criança, outros passageiros deixaram que ela passasse na frente na fila do táxi.

Com a placa, foi possível rastrear o automóvel. O GPS indicou que ele estava onde horas antes parecia não haver carro algum. Soterrado sob lama e pedras.

No resgate aos outros veículos, moradores das redondezas passaram por cima dele, sem pistas de que ali havia um outro carro.

O Corpo de Bombeiros só foi acionado na manhã seguinte. Quando chegaram ao local, amigos da família já tentavam cavar o monte de terra, numa área ainda sob risco de novos deslizes de terra. Assim viram os primeiros vislumbres do táxi amarelo, que foi esmagado.

Os bombeiros terminaram a missão e retiraram os corpos. A mochilinha rosa de Júlia foi um dos itens recuperados.

Além de Taty, Lúcia era mãe de Leonardo Neves, um fotógrafo de surf que vive na Indonésia. Amigos a descrevem como uma guerreira disposta a pequenos desafios, como praticar 30 dias seguidos de yoga. Faria aniversário na semana que vem.

Júlia era o xodó da avó, que lotava seus perfis virtuais foto abraçada com a netinha. Há dois anos, a filha postou um retrato das duas: "Essa foto representa bem vocês: só AMOR e Alegria!!! Muito obrigada por ser essa avó sensacional!!! Te amamos!!".


 



COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

VER MAIS