23 de julho de 2019

Brasil e Mundo

'Vamos apurar e cortar na carne', diz ministro sobre fuzilamento no RJ

O ministro afirmou que os militares envolvidos no episódio foram presos após apuração conjunta com a Polícia Civil, por descumprirem as normas do Exército.

Brasil e Mundo 10/04/2019 - Repórter: FolhaPress
Foto de:
Fernando Azevedo e Silva

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, afirmou nesta quarta-feira (10), que o assassinato do músico Evaldo dos Santos por militares foi um "incidente lamentável" e que será apurado pela Justiça Militar.

"Vamos apurar e cortar na carne", disse o ministro.

"Eu acho que foi um acidente lamentável, triste, triste, mas um contexto isolado", afirmou ele. "E será apurado até as últimas consequências. A Justiça Militar é uma justiça célere."

O ministro afirmou que os militares envolvidos no episódio foram presos após apuração conjunta com a Polícia Civil, por descumprirem as normas do Exército.

"Está sendo apurado, é a primeira coisa que foi feita. Ouviram todos os envolvidos a noite inteira, e constataram que eles não seguiram as normas regulamentares, foram presos por não seguir as normas", disse.

O ministro falou durante reunião da comissão de Relações Exteriores, presidida por Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro,

Ele foi questionado sobre a ação do Exército que resultou na morte do músico. O carro da família foi alvejado por 80 tiros de uma equipe do Exército em Guadalupe, zona norte do Rio de Janeiro, no domingo (7).



COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

VER MAIS