23 de julho de 2019

Franca

Exportações de Franca caem 10% em um ano

Total exportado por empresas da cidade no ano passado foi US$ 108,5 mi.

Franca 14/04/2019 - Repórter: Carolina Ribeiro
Foto de: Divulgação
Rafael Pugliesi Borges e Suyara Gonçalves, coordenadores do DNI da Acif. Assessoria que auxilia nas exportações é gratuita

As exportações francanas caíram 10% entre janeiro e dezembro do ano passado em comparação com o mesmo período do ano anterior. O número, que representa mais de US$ 12,6 milhões a menos injetados na economia da cidade, é baseado em dados do Siscomex (Sistema Integrado de Comércio Exterior) do Ministério de Relações Exteriores, levantados pelo Instituto de Economia da Acif (Associação do Comércio e Indústria de Franca).

Enquanto em 2018 empresas francanas exportaram US$ 108,5 milhões para outros países, em 2017 esse valor chegou a US$ 121,2 milhões. A diferença é ainda maior quando a comparação é com 2016. Naquele ano foram exportados US$ 127,9 milhões, 15% ou US$ 19,3 milhões a mais que no ano passado. Os calçados (57%) e couros e peles (25%) representam a maior parte dos produtos exportados. O café representou apenas 3% nas exportações da cidade no ano passado.

Já os principais países de destino das exportações francanas foram Estados Unidos, China e Argentina em 2018; Estados Unidos, China e Bolívia em 2017; e Estados Unidos, China e Coréia do Sul em 2016.

“Percebe-se que, muito embora a economia industrial da cidade de Franca tenha se diversificado nos últimos anos, o setor calçadista ainda domina o maior percentual das exportações realizadas pela cidade. Outros setores como o café têm ganhado espaço, timidamente, dentro dessa fatia. Por outro lado, as importações que têm se mantido estáveis demonstram equilíbrio no consumo e investimento em matérias primas, estas também direcionadas, em sua maioria, ao setor calçadista”, disse Dorival Mourão Filho, da Acif.

Franca importou US$ 27,2 milhões em 2018, US$ 29,3 milhões em 2017 e US$ 24,9 milhões em 2016. China, Estados Unidos, Itália, Uruguai e Alemanha foram os principais países de origem.

DNI fomenta negócios internacionais
Pensando em fomentar novos mercados e todo o potencial de exportações e importações das empresas francanas, a Acif criou o DNI (Departamento de Negócios Internacionais). Com foco claro na geração de negócios, o departamento surgiu para atender o micro, pequeno, médio e grande empresários por meio de assessoramento gratuito com profissionais experientes em Comércio Exterior e Relações Internacionais. O suporte vai desde a parte operacional, que engloba o aspecto burocrático, às estratégicas, como as promoções comerciais em outros países. A assessoria é gratuita. “O que nos interessa é se o empresário tem o desejo de gerar negócios no exterior”, explicou o presidente da Acif, Dorival Mourão Filho. “Todo o suporte no que diz respeito ao acompanhamento e condução das operações internacionais, atendimento técnico personalizado e apoio à realização de negócios será dado às empresas pelo DNI.” Informações: (16) 3711-1711. 



COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

VER MAIS