25 de agosto de 2019

Opinião

Na mira do Gaeco

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) realizou 157 operações em todo o Estado no ano passado.

Opinião 19/05/2019 -
O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) realizou 157 operações em todo o Estado no ano passado. Foram 43 ações a mais em comparação com 2017. Contando com a atuação de 65 promotores de Justiça, o órgão do Ministério Público promoveu 1.155 buscas e efetuou 1.533 prisões.
 
Só de criminosos ligados ao PCC, foram 983 prisões. Ainda em 2018, o Gaeco apresentou 297 denúncias contra 1.696 pessoas, entre elas, 233 agentes públicos, leia-se políticos. A atuação do grupo resultou na apreensão de R$ 50 milhões.
 
Somente na área de Franca, foram realizadas 18 operações e 147 buscas. As ações resultaram na prisão de 90 pessoas, sendo 44 de criminosos ligados ao PCC. O relatório também revela que o Gaeco apreendeu dez quilos de drogas e apreendeu R$ 2,6 milhões, além de dólares, euros e ainda bolívares.
 
Os promotores denunciaram à Justiça 123 pessoas da região. 59 são agentes públicos, ou seja, ex-prefeitos, vereadores e secretários municipais. 
 
Em dezembro do ano passado, o Gaeco apreendeu R$ 1,5 milhão que estavam enterrados no quintal da casa do ex-vereador de Igarapava, José Eurípedes de Souza. Ele já havia sido preso dias antes acusado de corrupção ativa e lavagem de dinheiro. 
 
Também fazem parte da relação dos políticos presos e denunciados pelo Gaeco na região os irmãos Carlos e Sérgio Augusto de Freitas, que já foram prefeitos de Igarapava. Outro político que caiu nas mãos dos promotores é Juliano Mendonça Jorge, ex-prefeito de Miguelópolis. Preso desde abril de 2016 em Tremembé, ele é acusado de chefiar organização criminosa, fraudar licitações e desviar recursos públicos. Já recebeu três condenações, que somam 52 anos de cadeia.  O Gaeco não me confirmou, mas também não negou, se há investigação em andamento em Franca.
 
Sucessão municipal: O ex-prefeito Alexandre Ferreira, atualmente no Solidariedade, avalia a possibilidade de se filiar ao MDB para disputar as eleições para prefeito em 2020. A ideia é se juntar novamente a Fernando Baldochi, que foi seu vice. Alexandre tem o apoio de Airton Sandoval, seu conselheiro político, para efetivar a mudança de partido.
 
Justa homenagem
A creche municipal localizada na rua Lybia Vilela Junqueira, jardim Paulistano, receberá o nome de Jurema Gomes Xavier.  Jurema foi professora de Direito Civil na Faculdade de Direito de Franca e morreu aos 76 anos em agosto de 2017. A homenagem foi proposta pelo prefeito Gilson de Souza.
 
Casal condenado: O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou o atual prefeito Santo Antônio da Alegria, João Baptista Mateus de Lima, e a primeira-dama do município por crime de responsabilidade. Ambos foram condenados à perda do cargo público e reparação dos danos causados no valor de R$ 141.2 mil. Segundo a acusação, durante mandatos anteriores do prefeito, a primeira-dama se afastou informalmente do cargo concursado que ocupava para assumir atividades sociais não remuneradas. Entretanto, continuou recebendo, indevidamente, remuneração por oito anos.  João Baptista é o presidente do Comam (Consórcio dos Municípios da Alta Mogiana). Ele vai recorrer da decisão.
 
Vai esperar alguém morrer, Gilson?: O vice-prefeito, Frank Pereira, postou desabafo denunciando as dificuldades que pacientes do Hospital do Câncer têm para atravessar a avenida Presidente Vargas. “Desde de 2017, eu tento, em vão, colocar uma lombofaixa no local. Se por meio de ofícios não tem adiantado, quem sabe divulgando nas redes sociais, consigo a atenção de quem tem o poder”.
 
Fiquei em dúvida: Os protestos de quarta-feira foram contra o corte de verbas para a Educação ou para tirar o presidiário Lula da cadeia?
 
É só alegria moçada:  Eliete  Neves, irmã do “Rionegro e Solimões”, é a nova secretária municipal de Ação Social.
 
 
Edson Arantes
Jornalista
edson@comerciodafranca.com.br
 


COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

VER MAIS