20 de agosto de 2019

Culinária

Bolo Junino

Iguaria brasileira herdada dos portugueses, o bolo bom-bocado tem presença garantida em junho, mês das festas queridas pelas crianças, mesmo nesse tempo marcado por robotização, velocidade,

Culinária 02/06/2019 - Repórter: Sônia Machiavelli
Foto de: Dirceu Garcia/Comércio da Franca
Iguaria brasileira herdada dos portugueses, o bolo bom-bocado tem presença garantida em junho, mês das festas queridas pelas crianças, mesmo nesse tempo marcado por robotização, velocidade, descuido com a memória
“E depois de tantos anos, Só decepções, desenganos Dizem que sou um burguês muito privilegiado
Mas burgueses são vocês Eu não passo de um pobre-coitado E quem quiser ser como eu,
Vai  ter  que penar um bocado Um bom bocado, vai penar um bom bocado”
“O pequeno burguês”, Martinho da Villa
 
porção: 4
dificuldade: fácil
preço: econômico
 
Ingredientes
 4 ovos inteiros
 2 colheres (sopa) de manteiga 
 4 xícaras (chá) de leite
 1 ½   xícara (chá) de açúcar
 100 gramas de parmesão ralado
 100  gramas de coco ralado
 1 xícara (chá) de fubá mimoso
 2  colheres (sopa) de farinha de trigo
 1 pitada de sal
 1 colher (sopa) de fermento em pó
 
 
Para começar essa conversa, falemos em primeiro lugar de queijo, sem o qual não se faz o bolo que hoje é nosso assunto. Paulistas vizinhos de mineiros, nós francanos gostamos muito de queijo. E por aqui os temos excelentes, como os que vem da Serra da Canastra e mereceriam a proteção da denominação controlada. Incidem na direção da qualidade fatores como clima, pasto e conhecimento. Essas características fazem com que o queijo- seja fresco, meia cura ou totalmente curado- só receba elogios do consumidor. Foi queijo da Canastra curado e ralado que utilizamos na receita mostrada pela foto. Mas nada impede que se empregue o parmesão ou outro tipo firme e seco no preparo.
 
Quanto ao coco, é um dos alimentos realmente saudáveis do mundo. Pesquisadores descobrem cada vez mais evidências de que os ácidos graxos encontrados nessa fruta impactam positivamente sobre a saúde em geral. Os pigmentos responsáveis pela cor branca da polpa são riquíssimos em flavonoides, substâncias que combatem doenças cardíacas, têm ação antibacteriana, antiviral e anti-inflamatória e ainda estimulam a produção de enzimas que reforçam a imunidade. No Brasil, temos fácil acesso ao coco verde ou seco. Sob a última forma, facilmente encontrada nos supermercados a preços acessíveis, há várias versões, como os tostados, úmidos, com ou sem açúcar. Foi o último que usamos na receita do bolo cuja foto ilustra a página.
 
Chamamos a esse bolo de “bom-bocado” porque a massa lembra em textura e sabor o bom-bocado individual, docinho de festa, herança da doçaria de convento que tornou Portugal expert na arte da confeitaria. Feito com ovos e açúcar em terras lusitanas, normalmente leva amêndoas trituradas, leite e farinha; já no Brasil é comumente encontrado com coco, queijo, manteiga- e uma base que pode ser farinha, fubá ou mandioca. No nosso bolo entra o fubá, produto relevante nessa época do ano.
 
Por aqui, os ingredientes são os mesmos, tanto os do doce individual, quanto os do bolo. A diferença é a fôrma- tabuleiro para o bolo a ser cortado em quadradinhos; ou forminhas de papel ou de empadinhas para o doce. É o que acontece também om o quindão, uma réplica gigante do quindim.
 
Além de deliciosa, a massa do bolo que você vê na foto é muito fácil de executar e oferece excelente resultado na relação custo/benefício. É cremosa, saborosa, bem típica do período. Você nem precisa usar a batedeira. O liquidificador dá conta do recado. Depois de experimentar, com certeza vai repetir a receita, caso haja crianças em idade escolar na família. Entramos em junho, mês das festas dos santos - Antônio, João e Pedro. Tempo de quadrilhas, quermesses, leilões, evocação de danças, vestidos de chita, chapéu de palha, canções folclóricas, metáforas de um Brasil caboclo que permanece na memória brasileira a lembrar que até há pouco tempo éramos “um país eminentemente agrícola”. Então, vamos aquecer o clima de temperaturas mais baixas, ainda que nosso inverno seja o dos trópicos.
 
Coloque à vista os ingredientes: ovos, manteiga (em temperatura ambiente), açúcar, queijo, coco, farinha, fubá, leite, fermento em pó. No copo do liquidificador coloque leite, ovos, manteiga, açúcar e bata por três minutos. Desligue e acrescente o restante, pela ordem: farinha, fubá, coco. Bata mais três minutos e agregue o queijo ralado. Bata mais um minuto. Acrescente o fermento e bata apenas 15 segundos, só para misturar. Despeje a massa em forma untada com manteiga (ou óleo) e polvilhada com farinha. Asse em forno preaquecido a 180 graus, por 40 minutos ou até dourar.
 
Espere esfriar, corte em quadradinhos e sirva acompanhado de café ou chá. Impossível não se sentir confortável.
 
 
Passo a passo
 
1 - Meça todos os ingredientes e coloque-os à sua frente
 
2 - Bata ovos, açúcar, manteiga e leite por três minutos
 
3 - Junte os ingredientes secos e volte a bater por mais três minutos
 
4 - Por fim agregue o fermento e bata apenas quinze segundos 
 
5 - Despeje em forma untada e enfarinhada e leve ao forno por quarenta minutos


COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

VER MAIS