21 de julho de 2019

Opinião

Quem é Jesus

Opinião 23/06/2019 -

Com a graça de Deus estamos vivendo mais um domingo: o dia do Senhor. Jesus pergunta para nós: quem sou eu na sua vida? A resposta é pessoal. E uma experiência de vida.

Primeira Leitura: Zacarias 12: Este trecho, extraído do livro de Zacarias, é bastante misterioso. Fala de um home justo e inocente que foi ferido até a morte e nos da a entender que os responsáveis por este crime foram os habitantes de Jerusalém. O Senhor, porém, nos relata a leitura, despertou no povo culpado um profundo sentimento de arrependimento pela maldade cometida. Todos se arrependeram e contemplaram aquele que tinham transpassado. Houve um pranto desesperado, como a dos pais que perdem o próprio filho único, semelhante ao luto quando morre um primogênito.

Que é este homem e por que o mataram?

O evangelista João identificou este misterioso personagem como sendo uma figura de Jesus.

Segunda leitura: Gálatas 3: Como identificar os batizados?

Sem dúvida, diz Paulo na leitura de hoje. O traje que identifica o cristão, porém, não consiste numa túnica preta ou roxa, não é feito de lâ, de algodão, de linho ou de algum outro material.
A veste da qual fala o apóstolo é outra: é a própria pessoa de Jesus.

Evangelho: Lucas 9: A primeira parte do texto começa apresentando Jesus em oração. Com frequência Lucas observa que Jesus, se recolhe em oração.

Jesus começa perguntando: Quem dizem que eu sou?

O povo aproxima Jesus destes grandes personagens que deviam preceder a vinda do Messias. Eis o que Jesus é para o povo: um precursor.

Por que não o reconhecem como Messias? Porque Ele não corresponde às expectativas. Não tem nada do grande rei vencedor e glorioso que estão esperando.

A segunda parte contém a segunda pergunta: E vós, quem dizeis que eu sou? Pedro, em nome de todos responde: Tu és o Messias de Deus!

Na terceira parte do Evangelho, Ele esclarece: É necessário que o Filho do Homem padeça muitas coisas, seja rejeitado pelos anciãos, pelos príncipes dos sacerdotes e pelos escribas. É necessário que ele seja levado à morte e que ressuscite ao terceiro dia.

Lucas quer alertar os cristãos das suas comunidades para a perseverança, para a constância diante das dificuldades, das provas, das seduções do mundo que os circunda.

 

Monsenhor José Geraldo Segantin
Pároco da Igreja de Santo Antônio e vigário geral da Diocese -segantin@comerciodafranca.com.br 


COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

VER MAIS