25 de fevereiro de 2020

Opinião

Assunção de N. Senhora

A Igreja Católica celebra a Assunção de Nossa Senhora, isto é, sua volta, em corpo e alma para os céus.

Opinião 18/08/2019 -
A Igreja Católica celebra a Assunção de Nossa Senhora, isto é, sua volta, em corpo e alma para os céus.

            No mês vocacional rezamos, neste domingo, pelas Vocações Religiosas.

            E quais são os ensinamentos da Palavra de Deus para hoje?

 

Primeira Leitura: Apocalipse 11: Uma certa devoção mariana, junto com inegáveis méritos, limitou-se a apresentar-nos uma Nossa Senhora muito distante de nós e do nosso mundo. A cena descrita na primeira leitura é grandiosa. No céu aparecem dois sinais. O primeiro é “uma mulher revestida de sol, com a lua sob seus pés e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas”. O segundo é “um enorme dragão vermelho”, uma serpente gigantesca avermelhada de sangue, dotada de uma força descomunal, capaz de arrastar do céu um terço das estrelas.

A mulher está grávida, grita por causa das dores do parto e dá à luz um filho. O dragão coloca-se diante dela para devorar a criança recém-nascida. Tem pressa de eliminá-lo porque sabe que “está destinado a governar todas as nações com cetro de ferro”.

A mulher parecia vencida, mas Deus intervém: toma o filho e o transporta para o céu, enquanto a mulher busca refúgio no deserto. Quem são três personagens: a mulher, o dragão, o menino recém-nascido?

O “menino” é evidentemente Cristo “que é destinado a governar as nações.

Segunda Leitura: 1ª Cor. 15: O trecho da primeira carta aos Coríntios, que nos é proposto nesta festa, quer ajudar-nos a compreender o significado da vitória de Cristo sobre a morte.

Os inimigos de Deus não são os homens, mas aquelas formas de morte com as quais devemos confrontar-nos neste mundo: a fome, a nudez, a doença, a ignorância, a escravidão, o medo, o egoísmo, o pecado.

Evangelho: Lucas 1: Maria é proclamada “bem-aventurada” porque acreditou no cumprimento das palavras do Senhor . “Bem-aventurada és tu que creste”. É essa a primeira bem-aventurança que se encontra no evangelho de Lucas. Maria é bem-aventurada não porque viu, mas porque confiou na palavra de Deus. No evangelho de João esta mesma bem-aventurança encontramo-la no fim. O Ressuscitado a dirige a Tomé: “Felizes os que creem sem ter visto”. A fé autêntica aquela da qual Maria dá prova não necessita de demonstrações, de verificações, mas funda-se somente sobre a escuta da Palavra e se manifesta na adesão incondicional à própria Palavra.

 

Monsenhor José Geraldo Segantin
Pároco da Igreja de Santo Antônio e vigário geral da Diocese -segantin@comerciodafranca.com.br 
          



COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

Veja mais José Geraldo Segantin

CLIMA EM FRANCA

27°
19°

MAIS LIDAS

COLUNISTAS

ECONOMIA Atualizado 1 hora atrás

  • Dólar Comercial:
    Data:
  • Dólar Turismo:
    Data:
  • Euro:
    Data:

LOTERIAS Atualizado 1 hora atrás

  • Mega-Sena:
    Sorteio: Data:
  • Quina:
    Sorteio: Data: