25 de fevereiro de 2020

Opinião

Ocupa o último lugar

O último lugar é a atitude de quem quer sempre servir, ajudar a todos, especialmente, os mais rejeitados por todos. São os ensinamentos dest

Opinião 01/09/2019 -
O último lugar é a atitude de quem quer sempre servir, ajudar a todos, especialmente, os mais rejeitados por todos. São os ensinamentos deste domingo.

 

Primeira Leitura: Eclesiástico 3: Sê modesto... comporta-te como uma pessoa humilde”, aconselha Sirac ao seu discípulo.

Duzentos anos atrás nenhum de nós existia: tudo o que somos hoje, nós recebemos de Deus, como um presente. É dele que procedem a vida, a beleza, a força, a inteligência, o bom temperamento que temos. Nada nos pertence. De nada podemos nos vangloriar.

Os dons de Deus nos foram dados para que, por nossa vez, os comuniquemos aos irmãos.

Humilde é aquele que, tendo consciência das próprias qualidades, se coloca a serviço de todos, considera os outros como seus senhores, que podem lhe exigir tudo aquilo de que necessitam.

 

Segunda leitura: Hebreus 12: Os cristãos não se aproximam do monte Sinai para ter uma experiência assustadora de Deus; eles se aproximam de Cristo; passam por uma experiência religiosa completamente diferente: é uma experiência festiva, porque em Jesus descobrem o rosto de Deus, amigo dos homens. No Antigo Testamento havia muitos mediadores entre Deus e os homens: os sumos sacerdotes, os levitas, o sinédrio, os anciãos. Hoje não há mais necessidade deles como intermediários; os cristãos sabem que podem dirigir-se diretamente ao Pai, sem qualquer receio.

 

Evangelho: Lucas 14: O Evangelho nos ensina: Quando fores convidado às bodas, não te sentes no primeiro lugar... mas vai tomar o último lugar, para que, quando vier o que te convidou, te diga: amigo, passa mais para diante, então serás honrado na presença de todos os convivas.

Depois de ter narrado a parábola, Jesus se dirige ao fariseu que o tinha convidado: “Quando deres alguma ceia, não convides os teus amigos, nem os teus irmãos, nem os parentes, nem os vizinhos ricos”. Quando deres uma ceia, convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos.

Esta segunda parte do Evangelho de hoje nos convida a refletir sobre a vida das nossas comunidades. Os pobres, os cegos, os aleijados , os coxos, representam todas aquelas pessoas que se desgarraram do bom caminho durante a vida.

Concluindo a sua exortação, Jesus afirma: dando acolhida aos que todos rejeitam “serás feliz, porque eles não têm com que te retribuir; ma ser-te-á retribuído na ressurreição dos justos.

 

Monsenhor José Geraldo Segantin
Pároco da Igreja de Santo Antônio e vigário geral da Diocese -segantin@comerciodafranca.com.br 


COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

Veja mais José Geraldo Segantin

CLIMA EM FRANCA

27°
19°

MAIS LIDAS

COLUNISTAS

ECONOMIA Atualizado 1 hora atrás

  • Dólar Comercial:
    Data:
  • Dólar Turismo:
    Data:
  • Euro:
    Data:

LOTERIAS Atualizado 1 hora atrás

  • Mega-Sena:
    Sorteio: Data:
  • Quina:
    Sorteio: Data: