31 de maio de 2020

Franca

VISITA

Dória reduz imposto mas alerta: 'não há almoço grátis'

Na cidade pela primeira vez após eleito, governador inaugurou a nova DDM, visitou o LuizaLabs e anunciou um corte de 50% no ICMS calçadista

Franca 30/11/2019 - Repórter: N. Fradique
Foto de: Dirceu Garcia/Comércio da Franca
Gilson de Souza, João Dória e José Carlos Brigagão do Couto durante reunião no Sindifranca
O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), esteve em Franca nesta semana pela primeira vez após eleito. Durante a visita, deu três ‘tacadas’ de uma vez só.

Na parte da manhã, às 11h, reinaugurou as novas instalações da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher). No começo da tarde, às 13h30, Doria anunciou uma redução pela metade no ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços) para o setor calçadista, em reunião no Sindifranca.

No intervalo entre um compromisso e outro, o governador fez uma visita ao LuizaLabs (laboratório de tecnologia e inovação do Magazine Luiza) criado para desenvolver produtos e serviços com foco no varejo.

Na sua chegada à cidade, ainda no aeroporto, uma comitiva já o aguardava. Entre tantos filiados a partidos, vereadores e outras autoridades, estavam o ex-prefeito Sidnei Rocha e o prefeito Gilson de Souza (DEM). Ao chegar à Delegacia, mais um grande aglomerado o esperava. Uma das primeiras personalidades a recepcioná-lo foi a empresária Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza.

“Bom dia, mulheres de Franca. Tenho várias razões para estar aqui, e uma delas é entregar a nova DDM, com toda estrutura para atender a mulher vítima de violência e agressão. Hoje os números mostram que as mulheres estão mais corajosas, procurando mais as delegacias”, disse o governador em seu discurso.

Doria destacou a parceria com o grupo Mulheres do Brasil, liderado por Luiza Helena. “Quero agradecer a parceria com a iniciativa privada, principalmente com a colaboração da Luiza Helena, que aceitou esse desafio. Contamos com 10 DDMs em São Paulo, também no mesmo padrão “Luiza Helena”, brincou.

Luiza Helena agradeceu o hrupo Mulheres do Brasil - Núcleo Franca. “Estamos entregando uma delegacia moderna, com a colaboração do grupo Mulheres do Brasil e também da comunidade. Quero agradecer a todos que ajudaram nesse projeto que se torna realidade. Franca merece”, disse a empresária.

Além de toda a cúpula da Polícia Civil de Franca e do Estado, estavam no evento os vereadores Corrêa Neves Jr (PSD), Cristina Vitorino (Republicanos), Adermis Marini (PSDB), Pastor Otávio Pinheiro (PTB), o ex-prefeito Sidnei Rocha e a virtual candidata a prefeita Flávia Lancha, que ainda segue sem partido.

 

Redução do ICMS

Após almoçar no LuizaLabs, o governador foi para uma das reuniões mais aguardadas nos últimos anos na cidade. Dória se reuniu com representantes do setor calçadista no Sindifranca e anunciou uma redução no ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços) de 50% para o setor. O imposto, que era de 7%, será reduzido para 3,5%.

O governador estava acompanhado de Henrique Meirelles, ex-ministro da Fazenda dos governos de Dilma e Temer e presidente do Banco Central no governo de Lula, e que hoje é Secretário da Fazenda e Planejamento do Estado. Outros secretários estaduais também acompanharam o encontro.

A medida busca amenizar os efeitos da guerra fiscal que os produtores de calçados do estado de São Paulo (Jaú e Birigui e Franca) enfrentam contra outros polos do país. “Com a redução do ICMS, os calçados populares serão vendidos por preços mais convidativos e, portanto, mais competitivos no mercado brasileiro e também exportados. Igualmente, os calçados voltados ao público de alta renda também serão beneficiados”, disse o governador, antes de alertar. “Não há almoço de graça. O produtor precisará se aperfeiçoar. A redução de imposto permitirá que o industrial invista em design, embalagem, marketing e promoção, seja ela no Brasil ou fora do país”.

O presidente do Sindifranca, José Carlos Brigagão do Couto, disse que o projeto levou 7 meses para ficar pronto. “Doria nos pediu um relatório apresentando os problemas que o setor vem encontrando. Pedimos para que ele olhasse todos os pilares para podermos retomar nossa vocação calçadista. Agora vamos agendar uma reunião geral com representantes do setor para explicar detalhes de como será na prática”, disse Brigagão.

Uma outra preocupação do setor calçadista é o número de empresas que estão fechando as portas na cidade. Segundo os últimos dados do Caged, cerca de 200 empresas deram baixa em seus CNPJs nos últimos cinco anos na cidade.

O decreto que reduz os tributos irá agora passar pelos trâmites legais, devendo passar a vigorar no começo de 2020.


 



COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

Veja mais Local

CLIMA EM FRANCA

24°
13°

MAIS LIDAS

COLUNISTAS

ECONOMIA Atualizado 1 hora atrás

  • Dólar Comercial:
    Data:
  • Dólar Turismo:
    Data:
  • Euro:
    Data:

LOTERIAS Atualizado 1 hora atrás

  • Mega-Sena:
    Sorteio: Data:
  • Quina:
    Sorteio: Data: