28 de maio de 2020

Opinião

Sal e luz sal e luz

O tema do sal e luz é a expressão da missão de toda pessoa presente no mundo.

Opinião 08/02/2020 -
O tema do sal e luz é a expressão da missão de toda pessoa presente no mundo.

Primeira Leitura: Isaías 58:

O jejum é uma prática religiosa conhecida por todos os povos. Desde os tempos antigos, quando se encontraram em situações de sofrimento ou de perigo, os homens sempre recorreram à oferta de sacrifícios voluntários para forçar Deus e as forças sobrenaturais a intervirem em seu favor. A leitura de hoje nos recorda uma dessas situações difíceis, durante a qual os israelitas sentiram a necessidade de propor o “jejum”. Encontramo-nos no século V antes de Cristo. O povo confiante nas promessas dos profetas, volta do exílio da Babilônia, mas as coisas não correm bem. Para pedir a Deus que as coisas melhorem, o povo decide entrão fazer jejum, mas nada muda. O profeta que fala na leitura deste domingo assim responde ao povo: “a culpa não é do Senhor, é o vosso jejum que não presta”. Em seguida explica qual é o verdadeiro jejum, aquele que agrada a Deus: consiste em dividir o próprio pão com quem tem fome, em abrigar na própria casa quem não tem teto para se proteger, em vestir quem está nu.

Segunda leitura: 1ª Corintios 1:

Neste trecho da carta aos cristãos de Corinto, Paulo desenvolveu o tema da preferência de Deus por tudo aquilo que é humilde, desprezado e sem valor. Faz a comparação entre a sabedoria humana e o poder de Deus e cita o exemplo de sua pessoa.

Na primeira parte (vv.1-2), fala da sua pregação. Ele, não está de posse de nenhum desses requisitos e anuncia uma mensagem estranha, humanamente absurda: um homem condenado à morte.

Na segunda parte passa a apresentar a si mesmo como pregador: um homem fraco, medroso, com pouca facilidade para se comunicar. Não obstante esta falta de recursos humanos, ele constata que o Evangelho se difundiu muito em Corinto. Por que? Porque, explica, a palavra de Deus é forte por si mesma e a sua penetração no coração dos homens não depende dos meios humanos.

Evangelho: Mateus 5:

O Evangelho de hoje nos apresenta duas pequenas parábolas a do sal e a da luz. O cristão é o sal da terra. Com a sua presença impede que a humanidade se corrompa, não permite que a sociedade, conduzida por princípios perversos, apodreça e descambe para uma ruína.

A segunda comparação é a da luz. Jesus a explica através de duas figuras: a da cidade construída sobre um monte e que não pode ficar escondida e a da lâmpada que deve ser colocada num lugar elevado.

Para que serve a luz? Para iluminar os objetos. A luz não existe para ser olhada diretamente. Não se deve olhar para a luz, mas para as coisas iluminadas.

Os cristãos são luz, mas não podem praticar as boas ações para chamar a atenção sobre si, para ser admirados e elogiados. Não é para eles que os homens devem olhar, mas para as boas ações que são praticadas.


Monsenhor José Geraldo Segantin
Pároco da Igreja de Santo Antônio e vigário geral da Diocese -segantin@comerciodafranca.com.br 


COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

Veja mais José Geraldo Segantin

CLIMA EM FRANCA

24°

MAIS LIDAS

COLUNISTAS

ECONOMIA Atualizado 1 hora atrás

  • Dólar Comercial:
    Data:
  • Dólar Turismo:
    Data:
  • Euro:
    Data:

LOTERIAS Atualizado 1 hora atrás

  • Mega-Sena:
    Sorteio: Data:
  • Quina:
    Sorteio: Data: