01 de abril de 2020

Opinião

A vida em Cristo

Opinião 16/02/2020 -
Andar pelo caminho que Jesus ensina nunca foi fácil, entretanto, é trilhando essa estrada que somos salvos.

Primeira Leitura: Eclesiástico 15:

A leitura de hoje nos ensina que o homem se encontra como que numa encruzilhada; um caminho conduz à vida, outro à morte. Ele deve escolher entre os dois caminhos. O caminho da vida é sinalizado pelos mandamentos de Deus; o caminho da morte está marcado pelos vícios, pelas paixões, pela corrupção. Deus quer a plena alegria do homem, por isso toma conta dele e por isso lhe indica aquilo que lhe proporciona o bem e aquilo que o prejudica.

 

Segunda leitura: Iª Carta aos Corintios 2:

Domingo passado Paulo disse aos cristãos de Corinto que ele não se apresentou na cidade deles com uma sabedoria humana. Hoje ele continua dizendo que, também entre os cristãos, existe uma sabedoria que não é deste mundo. Pertence ao mundo de Deus e pode ser entendida somente pelos perfeitos, isto é, pelos cristãos adultos. O que é esta sabedoria de Deus?

Deus tinha um grande plano de amor em benefício dos homens e não o tinha revelado a ninguém. Este projeto que estava no seu pensamento é chamado por Paulo sabedoria de Deus.

 

Evangelho: Mateus 5:

A Bíblia é como uma história de amor, que Deus revela aos homens. Esta história é composta de duas parte: o Antigo e o Novo Testamento.

A primeira parte do Evangelho de hoje nos diz que Jesus não veio para destruir o Antigo Testamento não julgueis que eu tenha vindo para destruir a Lei e os profetas.

Eis como ele esclarece a sua posição e as suas opções: as promessas feitas por Deus no Antigo Testamento todas se cumprirão, nem uma sequer será esquecida.

A segunda parte do Evangelho apresenta quatro exemplos desta interpretação desconcertante apresentada por Jesus sobre o Antigo Testamento. Não matar. Jesus ensina que o mandamento não matar tem muitas implicações que vão além da agressão física. Quem usa palavras ofensivas, quem se deixa dominar pela ira, quem alimenta sentimentos de ódio já matou seu irmão.

O terceiro caso é do divórcio. Jesus afirma com toda a clareza que marido e mulher não podem se separar. O plano de Deus entende que o matrimonio é indissolúvel.

O quarto caso é o do julgamento. Entre os discípulos a única regra deve ser a da sinceridade. Sim, quando é sim; não quando é não. Andar pelo caminho que Jesus ensina nunca foi fácil, entretanto, é trilhando essa estrada que somos salvos.

Primeira Leitura: Eclesiástico 15:

A leitura de hoje nos ensina que o homem se encontra como que numa encruzilhada; um caminho conduz à vida, outro à morte. Ele deve escolher entre os dois caminhos. O caminho da vida é sinalizado pelos mandamentos de Deus; o caminho da morte está marcado pelos vícios, pelas paixões, pela corrupção. Deus quer a plena alegria do homem, por isso toma conta dele e por isso lhe indica aquilo que lhe proporciona o bem e aquilo que o prejudica.

 

Segunda leitura: Iª Carta aos Corintios 2:

Domingo passado Paulo disse aos cristãos de Corinto que ele não se apresentou na cidade deles com uma sabedoria humana. Hoje ele continua dizendo que, também entre os cristãos, existe uma sabedoria que não é deste mundo. Pertence ao mundo de Deus e pode ser entendida somente pelos perfeitos, isto é, pelos cristãos adultos. O que é esta sabedoria de Deus?

Deus tinha um grande plano de amor em benefício dos homens e não o tinha revelado a ninguém. Este projeto que estava no seu pensamento é chamado por Paulo sabedoria de Deus.


Evangelho: Mateus 5:

A Bíblia é como uma história de amor, que Deus revela aos homens. Esta história é composta de duas parte: o Antigo e o Novo Testamento.

A primeira parte do Evangelho de hoje nos diz que Jesus não veio para destruir o Antigo Testamento não julgueis que eu tenha vindo para destruir a Lei e os profetas.

Eis como ele esclarece a sua posição e as suas opções: as promessas feitas por Deus no Antigo Testamento todas se cumprirão, nem uma sequer será esquecida.

A segunda parte do Evangelho apresenta quatro exemplos desta interpretação desconcertante apresentada por Jesus sobre o Antigo Testamento. Não matar. Jesus ensina que o mandamento não matar tem muitas implicações que vão além da agressão física. Quem usa palavras ofensivas, quem se deixa dominar pela ira, quem alimenta sentimentos de ódio já matou seu irmão.

O terceiro caso é do divórcio. Jesus afirma com toda a clareza que marido e mulher não podem se separar. O plano de Deus entende que o matrimonio é indissolúvel.

O quarto caso é o do julgamento. Entre os discípulos a única regra deve ser a da sinceridade. Sim, quando é sim; não quando é não.


Monsenhor José Geraldo Segantin
Pároco da Igreja de Santo Antônio e vigário geral da Diocese -segantin@comerciodafranca.com.br  


COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

Veja mais José Geraldo Segantin

CLIMA EM FRANCA

30°
20°

MAIS LIDAS

COLUNISTAS

ECONOMIA Atualizado 1 hora atrás

  • Dólar Comercial:
    Data:
  • Dólar Turismo:
    Data:
  • Euro:
    Data:

LOTERIAS Atualizado 1 hora atrás

  • Mega-Sena:
    Sorteio: Data:
  • Quina:
    Sorteio: Data: