30 de março de 2020

Franca

REVISÃO DA RESTRIÇÃO

Pressionado, Gilson pode permitir abertura das fábricas a partir de segunda-feira

O principal argumento é que, se o governador João Doria permitiu o funcionamento das indústrias, Franca estaria sendo rigorosa demais

Franca 4 dias atrás - Repórter: da Redação
Foto de: Comércio da Franca
O prefeito Gilson de Souza poderá anunciar nesta sexta a revisão da restrição de funcionamento imposto às fábricas de sapato e bancas de pesponto da cidade e permitir que elas voltem a funcionar a partir de segunda-feira, dia 30. Gilson passou o dia em reunião com assessores. A pressão de alguns calçadistas foi intensa. O principal argumento é que, se o governador João Doria permitiu o funcionamento das indústrias, Franca estaria sendo rigorosa demais ao barrar a operação das fábricas de sapato. A decisão do prefeito de fechar as fábricas foi baseada na avaliação de profissionais de saúde da rede pública e privada da cidade, além de orientações do Ministério da Saúde.

Segundo o líder do prefeito na Câmara, Tony Hill, novas reuniões com representantes da indústria devem acontecer, mas a decisão de permitir o funcionamento das indústrias calçadistas a partir de segunda-feira, dia 30, estaria praticamente tomada. “A cidade não aguenta mais. Vai ter que ter critério, preservar o funcionário, mas as fábricas precisam voltar a produzir”, disse Tony, que se reuniu com o prefeito Gilson de Souza no final da tarde desta quinta-feira.

Setor comercial pode reabrir dia 8
As lojas de Franca poderão ser reabertas no dia 8 de abril. A possibilidade surgiu de uma reunião entre Prefeitura, Acif (Associação do Comércio e Indústria de Franca), Sindicato do Comércio Varejista e Unimed Franca, realizada nesta quinta-feira, 26, para tratar do decreto municipal que impôs estado de emergência na cidade devido à pandemia do coronavírus. O prefeito Gilson de Souza (DEM) determinou restrições no funcionamento do comércio, indústria e setor de serviços.

A ideia, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, é comprar 20 mil testes rápidos para realizar uma testagem em massa na população de Franca, ter o diagnóstico completo da doença na cidade, detectar os casos positivos antecipadamente, isolar os pacientes que testarem positivo para o novo coronavírus e, assim, evitar a contaminação do restante da população.

Dos 20 mil testes rápidos, 10 mil serão comprados pela Prefeitura - 5 mil já foram adquiridos pelo município, que aguarda a entrega pelo fornecedor. Os outros 10 mil testes seriam adquiridos através de uma parceria entre a Unimed e as entidades patronais. A expectativa é que todos os testes estejam na cidade no início de abril.

Além da testagem em massa, as empresas deverão apresentar à Prefeitura um plano com medidas para evitar o contágio pelo coronavírus dos funcionários e público em geral.

“Muitos eixos precisam ser cuidados neste momento, estamos preocupados e atentos para termos o menor impacto possível (na economia) e proteger a saúde das pessoas. Continuamos abertos ao diálogo e prontos para as adequações que forem necessárias”, disse o prefeito Gilson de Souza (DEM) à assessoria da Acif.
 



COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • ricardo
    4 dias atrás 4 Curtiram
    Adianta nada abrir e fabricar se os principais compradores não vão comprar
  • Maria Francielle Teixeira Silva
    4 dias atrás 10 Curtiram
    Devemos todos voltar dia 30 de março, Franca nem o Brasil pode parar por tanto tempo, não há tratamento nem respirador pra crise econômica, muito menos pra gerar emprego. Pior que o covid-19 é milhares de desempregados.
  • Marta
    4 dias atrás 11 Curtiram
    Sr Prefeito...nao faça isso
  • Roberto Pires Silveira
    4 dias atrás 2 Curtiram
    Gilson ainda se arrependerá amargamente dessa decisão. O coronavírus não é brincadeira e o ambiente dentro da fábrica é o ideal para que ele se espalhe. Economia se recupera (ou não) mas a morte não tem volta.
  • João Paulo Vilar de Souza
    3 dias atrás 2 Curtiram
    Maria Francielle....torço muito e estou orando para que Deus proteja seus familiares cima de 60 anos....ou algum diabético ou hipertenso da sua família.....
  • Júlia
    3 dias atrás
    Adianta nada abrir fábricas com as lojas fechadas , vamos vender pra quem ?
  • Francisco de Assis Domiciano
    3 dias atrás
    Isso é que competência. Adquirir os testes e isolar os infectados. Esse negócio de ficar todo mundo desconfiado um do outro e o governos só pedindo para o pessoal ficar em casa é burrice. E vamos nos preparar com políticas sérias, evitando esses caos no futuro.
  • Alexandre Diniz
    3 dias atrás
    Quem tentou Jesus no deserto, quando Ele se retirou por 40 duas, foi o demônio. Gilson terá a morte dos francanos na mão dele. Os dois países da Europa que se preocuparam mais com a economia do que com a vida são recordistas em mortes. Vai para Itália você que votou está preocupado com a economia.
  • Mari Rita
    3 dias atrás 2 Curtiram
    Maria Francielle Teixeira Silva, quantos da sua família podem morrer para a economia de Franca e do Brasil não parar? Espero que você saiba que não somente os idosos tem morrido.
  • Carlos
    3 dias atrás 2 Curtiram
    TRAVAMENTO ABSOLUTO DA ECONOMIA É GENOCÍDIO Obrigar o comércio e indústria a fechar as portas é leva-los a falência e desemprego, como os desempregados pagarão seus impostos, sua comida, suas dívidas, financiamentos ?. Como as mulheres farão o pré-natal, a quimioterapia, cadê exames e diagnósticos e tratamentos ?. Obrigam a lavar as mãos , mas proíbem a loja de abrir para vender canos e torneiras, cremam os bois por causa dos carrapatos, proibido fabricar ventiladores, respiradores, fabricar algodão, máscaras, luvas, transportes rodoviários e aéreo, proibido consertar as ambulâncias ou os borracheiros de trocar os pneus, proibido fabricas fósforos, usem faíscas de pedras lascadas, proibido fabricar calçados, andem descalços nas cavernas, a economia é como uma corrente, se tirar um elo....a recessão mata mais que vírus....Corona não tem asas nem pula como pulgas pelas ruas , panelaço montado da Globo é aplauso para o vírus....não seria mais coerente uma bomba atômica para acabar com o vírus ? ....Médicos tem sua opinião, astronautas tem outras, estadistas tem outras....
  • Rosane Aparecida
    3 dias atrás 1 Curtiu
    Não permita Sr Prefeito. Ainda mais agora que apareceu um caso confirmado.
  • Jairo
    2 dias atrás
    Diante de um vírus devastador a única coisa q da tempo de fazer é quarentena Esperem mais uma semana ou duas antes de tomarem essa decisão... Aí terão uma decisão mais real Enquanto isso voltem se para Deus e para a família esqueçam o dinheiro por um instante Leiam a bíblia sejam humildes ainda da tempo, vamos gente vamos ver o que Deus requer de cada um de nós... Leiam na biblia Mateus 24:14
  • Carlos
    2 dias atrás
    Não adianta o comercio ficar fechado pois esta prejudicando as pequenas empresas tive que demitir uma funcionaria e dar ferias para a outra, enquanto isso os grandes super mercado ficam abertos lotados, e digo mais esse virus, vamos ter que conviver com ele o ano todo, não e ficando escondido em casa um mes ou 2 que ele vai embora, ja era quando sair da toca vai ter milhares de pessoas contaminadas na rua do mesmo jeito ai vamos estar espostos do mesmo jeito. não tem jeito vamos ter que conviver com isso o ano todo, ate um dia descobrirem a vacina, então voltar a trabalhar
Veja mais Local

CLIMA EM FRANCA

27°
19°

MAIS LIDAS

COLUNISTAS

ECONOMIA Atualizado 1 hora atrás

  • Dólar Comercial:
    Data:
  • Dólar Turismo:
    Data:
  • Euro:
    Data:

LOTERIAS Atualizado 1 hora atrás

  • Mega-Sena:
    Sorteio: Data:
  • Quina:
    Sorteio: Data: