01 de junho de 2020

Opinião

O BOM PASTOR

Jesus é o único Pastor e nós somos seus cordeiros. Hoje rezamos por todos os que se consagram a Deus para se dedicarem ao povo d

Opinião 03/05/2020 -
            Jesus é o único Pastor e nós somos seus cordeiros. Hoje rezamos por todos os que se consagram a Deus para se dedicarem ao povo do mesmo Deus.

            Primeira Leitura: Atos 2.

O discurso de Pedro, que começou no domingo passado, continua na leitura de hoje. Apresentou ao povo de Israel a vida de Jesus...

Este Jesus, condenado pelos homens, foi, porém, glorificado pelo Pai, mediante a ressurreição.

            A reação do povo diante destas palavras revela o arrependimento.

            Diante desta Palavra a única postura honesta é a escuta humilde, a disposição para mudar, para renegar os erros do passado, para não justificar os pecados cometidos, para começar uma vida nova.

            Segunda Leitura: 1ª Carta de Pedro 2.

            Continua a exortação de Pedro aos recém-batizados.

            Neste ponto ele enfrenta um tema social delicado: entre os que receberam o batismo há pessoas nobres e abastadas, mas há também escravos. Como devem comportar-se com quem os irrita, com quem os maltrata?

            Pedro responde, trazendo o exemplo de Jesus.

            O cristão é chamado para introduzir no mundo uma novidade absoluta, alguma coisa que nunca se viu: o amor sem condições para todos os homens, até para os inimigos.

            Evangelho: João 1.

            O quarto domingo da Páscoa é chamado o domingo do bom Pastor.

            Nos vv.1-6 aparece a figura do Bom Pastor numa atitude de ternura com as ovelhas. Ele as conhece e as chama pelo nome. Para ele não existem massas anônimas. Ele se interessa pelos problemas de cada uma das ovelhas.

            Em contraste com o pastor, aparecem as figuras dos ladrões e dos bandidos. Quem são eles?

            No tempo de Jesus havia chefes religiosos e chefes políticos que afirmavam querer o bem do povo, mas em verdade procuravam unicamente o próprio interesse. Os seus objetivos eram o domínio, o prestígio pessoal, a exploração; os seus métodos eram a violência e a mentira.

            Para saber distingui-lo é necessário educar os próprios ouvidos, porque o pastor se reconhece pela voz. Observe-se que nestes versículos se atribui destaque “à voz do pastor”. Após a ressurreição Jesus será reconhecido pela sua voz.

            O pastor procura a vida: os ladrões e os bandidos se colocam do lado da morte.


 



COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

Veja mais José Geraldo Segantin

CLIMA EM FRANCA

25°
15°

MAIS LIDAS

COLUNISTAS

ECONOMIA Atualizado 1 hora atrás

  • Dólar Comercial:
    Data:
  • Dólar Turismo:
    Data:
  • Euro:
    Data:

LOTERIAS Atualizado 1 hora atrás

  • Mega-Sena:
    Sorteio: Data:
  • Quina:
    Sorteio: Data: