05 de junho de 2020

Nossas Letras

O melhor tem que estar por vir!

Sobre o que iremos falar agora? Até porque a vida ficou meio estática na medida em que nossos planos foram interrompidos -Ângela Gasparetto

Nossas Letras 17/05/2020 - Repórter: Angela Gasparetto
Foto de: Reprodução

 

Sobre o que iremos falar agora? Até porque a vida ficou meio estática na medida em que nossos planos foram interrompidos.

Mas eu sinceramente não quero mais falar em pandemias e tristezas.

A despeito de tudo, prefiro pensar que tenho mantido o coração cheio e a alma doce.

 E sei que dizer isso nesses tempos atuais é até indecoroso. Mas é assim que tenho procurado me sentir. 

Tenho medo como todos, às vezes a apreensão me ronda, e tem dias que fico à noite à espreita do que virá. Mas logo acalmo o meu coração, converso com Deus e digo a Ele que agora é com Ele mesmo. Sem mais delongas. Ele que faça o que achar melhor para nós, porque o inadmissível a humanidade já fez e estamos tentando consertar. Minha conversa com Deus é assim direta, acho que Ele me entende...

Sim, as tragédias nos rondam; essa de dimensão internacional, mas as nossas particulares estão sempre ali. Nosso encontro marcado com a vida é todos os dias; mas se não podemos exercitar nosso papel externo, acredito que podemos praticar mais o interior.

O nosso papel mais importante; e que nesse momento é junto aos nossos. Porque agora todos os dias viraram Natais, pois estamos sempre com os entes mais queridos, feito dia de festa e férias.  Alguns distantes, claro, mas aqueles que irão conosco a qualquer lugar estão bem ali à mesa estudando, na quarto lendo, vendo TV ou ouvindo música. São nossos pais, filhos, esposas ou maridos.

Nosso papel agora é com eles. 

E talvez estabelecer novas atitudes, tais como mais paciência, solidariedade e conseguir enxergar realmente quem são essas pessoas que ficaram conosco à deriva neste barco.

Não estamos passando por isso em vão. Não podemos estar.

Até lá, e sei que vou soar mundana, e supérflua, mas gostaria muito de poder falar de coisas doces, de flores na janela, de lembranças da infância, de pés descalços, de brisas no rosto.

Começo a sonhar muito com essa aura de alegria e cor. Se não podemos vivê-los agora, que possamos imaginá-las e dar o real valor nesse viver que nos é tão caro, e principalmente agora junto aos nossos.

Como diz aquele personagem de novela, “que tudo que vem de ruim para gente é para melhorar”, acredito muito nisso.  Na falta de um grande filósofo fico com esse mesmo, à mão, corriqueiro e puro. O melhor está  por vir. Tem que vir. É imprescindível que venha.  E estaremos aqui ansiosos como criança à espera de um presente.

Um presente que agora soa meio metafórico, pois o mesmo é o futuro, mas livre. 



COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

Veja mais Textos

CLIMA EM FRANCA

28°
16°

MAIS LIDAS

COLUNISTAS

ECONOMIA Atualizado 1 hora atrás

  • Dólar Comercial:
    Data:
  • Dólar Turismo:
    Data:
  • Euro:
    Data:

LOTERIAS Atualizado 1 hora atrás

  • Mega-Sena:
    Sorteio: Data:
  • Quina:
    Sorteio: Data: