05 de junho de 2020

Franca

DEPOIMENTO

'Por dezoito dias eu estive morto', diz francano curado de coronavírus

Donizete de Oliveira, de 64 anos, que teve alta do Hospital do Coração de Franca nesta última quarta-feira, 20.

Franca 22/05/2020 - Repórter: N. Fradique
Foto de: Reprodução
Donizete relatou que teve todos os sintomas característicos da doença
Donizete de Oliveira, de 64 anos, que teve alta do Hospital do Coração de Franca nesta última quarta-feira, 20, recuperado de uma manifestação grave do coronavírus, concedeu entrevista exclusiva ao jornalista Corrêa Neves Jr, em live na página do GCN e Instagram, nesta quinta-feira, 21. Emocionado, disse que a batalha foi difícil e que por 18 dias “esteve morto”.

Ainda frágil e precisando de algumas sessões de hemodiálise para se recuperar do forte e tóxico tratamento, que contou inclusive com o uso do medicamento cloroquina, Donizete deixou o hospital depois de ficar entubado por 18 dias. “Graças a Deus, eu venci. Deus me ajudou e os profissionais da saúde também. Lá (no Hospital do Coração) é uma equipe muito boa. Por dezoito dias, eu estive morto, entubado. Só via uma luz vermelha. Foi muito difícil”, disse ele, com acompanhamento permanente em casa da sua mulher e do genro.

Torcedor fanático da Francana e sapateiro por mais de 30 anos, Donizete relatou que teve todos os sintomas característicos da doença. “Tive tosse frequente, falta de ar, dor de cabeça, febre e vômitos. Começou devagar. Quando vi, já estava sentindo todos esses sintomas juntos. Então fui para o Pronto Socorro (Álvaro Azzuz) e fiz o teste. No primeiro, não deu nada. Continuei sentindo os sintomas e voltei. Aí no segundo deu positivo. Fui levado para o hospital e logo já fui entubado. Quando eu acordei tive que aprender tudo de novo. Nem andar eu sabia mais. Os outros acham que essa doença é brincadeira. Não é não. Até eu achava, mas acabei pegando”, disse.

O contágio de Donizete, que sempre trabalhou em fábricas de sapato (a maior parte de sua vida no Calçados Mariner), se deu através de sua filha, que é profissional de saúde em Franca. O caso dela foi mais ameno – mesmo assim, ela ficou internada por quatro dias. Hoje, está recuperada também e já retornou ao trabalho. O restante da família, esposa e genro, fizeram exames e os resultados deram negativos.

Donizete, que ao sair do hospital entregou uma flor à equipe de enfermeiros como reconhecimento pelo trabalho dos profissionais, alerta sobre a gravidade do coronavírus. “Eu digo que as pessoas precisam levar a sério essa doença. Não é brincadeira, não. Se pegar isso, tá morto. As pessoas têm que se conscientizar que não é brincadeira”.

O sapateiro deixou o coma induzido no último dia 14. Recebeu alta uma semana depois. “Deus me deu a vida de novo. Vou fazer hemodiálise devido à medicação forte, até me recuperar, e tenho também que fazer fisioterapia. Nunca tive problema nenhum de saúde”.

No final da entrevista, Donizete voltou a agradecer a equipe médica e de enfermagem. “O pessoal lá é muito profissional. As pessoas têm que se prevenir, principalmente pessoas mais velhas. Um homem que estava internado comigo, da mesma idade, não teve a mesma sorte. Ele acabou morrendo. Graças a Deus, me livrei. Nasci de novo”.

A Live do GCN é transmitida diariamente, de domingo a sexta-feira, a partir de 21h30, pelas páginas do portal no Facebook e Instagram.



COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • darsio
    22/05/2020
    Mais uma vez eu sugiro aos que ainda insistem em dizer que o covid19 é apenas uma gripezinha que, com muita frequência circulem pela cidade em locais aglomerados, preferencialmente em prontos-socorros, postos de saúde etc. Cuspam, espirrem, tussam et. Enfim, respirem, mas respirem milhões de gotículas de secreções. Depois, não se esqueçam de circular entre os familiares, de preferências os idosos, os doentes crônicos, as gestantes e os recém-nascidos. Bom! Se caso morrer alguém da família, não venha se incomodar, pois era apenas uma singela e inofensiva gripezinha. Agora, se forem vocês as vítimas fatais, não venham a ficar chateados, pois deram a vida para e pelo mito. Tudo bem que o mito bozo se quer sabe que vocês existem e, no fim dirá: e eu com isso!
  • Povo
    22/05/2020
    O povo só vai acreditar quando acontece com si próprio ou com alguém que ama boa recuperação amigo
  • Shirlei Acosta Paulino Rosa
    22/05/2020
    Glória a Deus pelo milagre desse Senhor, mas infelizmente sua filha foi contaminada no trabalho, porque não recebeu epis onde vários outros profissionais também se contaminaram, e ainda os responsáveis da Santa Casa de Franca disseram que os profissionais receberam os dois, mentira eu trabalhei na empresa e somente depois da denuncia nos forneceram as máscaras.
  • Evandro
    22/05/2020 1 Curtiu
    Espero que com este depoimento as pessoas se concientizem mais , né Sra Lívia e os demais que ficam falando asneiras neste grande jornal
  • Savio
    22/05/2020
    Tá cada dia mais difícil ler notícias nesse país, o entrevistado falou um monte de coisa boa, agradeceu a Deus a equipe, mais a manchete é a mais aterrorizante possível \' por dezoito dias eu estive morto \' e nenhuma notinha sobre 24hrs sem nenhum caso confirmado. Será que os donos desses jornais vem que isso vende mais.
Veja mais Local

CLIMA EM FRANCA

28°
16°

MAIS LIDAS

COLUNISTAS

ECONOMIA Atualizado 1 hora atrás

  • Dólar Comercial:
    Data:
  • Dólar Turismo:
    Data:
  • Euro:
    Data:

LOTERIAS Atualizado 1 hora atrás

  • Mega-Sena:
    Sorteio: Data:
  • Quina:
    Sorteio: Data: